Líderes da Câmara discutem meios para afastar Maranhão da presidência

Líderes da Câmara discutem meios para afastar Maranhão da presidência

Líderes dos partidos com representação na Câmara discutiram, em reunião realizada nesta terça-feira (9), alternativas para afastar o deputado Waldir Maranhão (PP-MA) do comando interino da Casa. Os líderes de PT, PC do B e PDT – que são contrários ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff – não participaram do encontro.

As lideranças da oposição estão revoltadas com o parlamentar maranhense por conta do ato que ele editou nesta segunda-feira (9), sem consultar os deputados, tentando anular a votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff na Câmara. Na madrugada desta quarta, diante da repercussão negativa de sua decisão, Maranhão revogou o próprio ato.

Os líderes do PMDB, do PP e do PPS relataram que uma das possibilidades sob análise é tentar convencer Waldir Maranhão a renunciar ao posto de primeiro vice-presidente em troca de acordo para evitar a cassação de seu mandato pelo Conselho de Ética. Nesta segunda (9), DEM e PSD protocolaram uma representação no colegiado para que seja aberta investigação sobre suspeita de abuso de poder no ato que tentou anular a sessão do impeachment.

Nesta hipótese, o segundo vice-presidente da Casa, deputado Fernando Giacobo (PR-PR), assumiria interinamente a presidência da Câmara.

Até mesmo os colegas de Waldir Maranhão no PP querem a saída dele do comando da Câmara. Na manhã desta terça, uma reunião da bancada progressista discutiu a situação do presidente em exercício da Casa.

Ao final do encontro, definiu-se que o deputado Júlio Lopes (PP-RJ) irá tentar convencer Maranhão a renunciar ao cargo de primeiro vice-presidente para que ocorra uma nova eleição para o posto. O PP disse que vai aguardar uma resposta do deputado maranhense até esta quarta (11).

O líder do PP na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), disse que os integrantes de sua bancada decidiram pedir à executiva nacional do partido a instauração de um processo de expulsão de Waldir Maranhão. A cúpula do PP poderá instaurar ainda na tarde desta terça o processo de expulsão de deputado do Maranhão.

Se o presidente em exercício aceitar renunciar ao comando da Câmara, a penalidade aplicada pelo PP pode ser mais branda, advertiu Ribeiro.

Plenário
Outra opção discutida pelos líderes oposicionistas é o próprio plenário da Câmara afastar Waldir Maranhão da primeira vice-presidência. Neste caso, Giacobo também assumiria o comando da Casa.

Segundo o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), neste momento, Fernando Giacobo tem uma relação melhor a Casa.

“Na casa legislativa, o plenário é soberano. Acho que há fundamento para o plenário, se tiver maioria, decidir. Pode decidir afastá-lo da posição de interino. Tirá-lo das funções de vice-presidente”, disse Picciani.

Ao chegar a Câmara na manhã desta terça cercado por seguranças, Waldir Maranhão não quis falar com a imprensa sobre a decisão de revogar o ato que tentava anular a sessão do impeachment.

 

 

 

G1