Líder das Farc pede ajuda do Papa para chegar a acordo com governo colombiano

Líder das Farc pede ajuda do Papa para chegar a acordo com governo colombiano

O líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Timoleon Jimenez, escreveu uma carta aberta ao papa Francisco em que pede uma intervenção da Igreja para chegar ao acordo de paz com o governo de Bogotá.

Segundo Jimenez, as Farc "continuarão a fazer todo o possível" para chegar finalmente a um acordo, mas "apareceram no horizonte sérios perigos de tempestades, que ameaçam afundar aquilo que é um grande esforço de todos os colombianos de boa vontade".

"Organizações paramilitares começaram uma ofensiva criminosa com o objetivo de desmoralizar os amigos da paz. Esta ação nefasta coincide com setores políticos confabulando para tirar proveito da guerra", disse o líder guerrilheiro em uma clara referência ao ex-presidente colombiano Alvaro Uribe, contrário a um pacto entre as duas partes.

Por este motivo, Jimenez apela ao Pontífice para que a Igreja Católica interfira na questão e faça uma "iniciativa, das suas mais humildes paróquias às mais altas hierarquias, para colocar nos corações confusos o apoio à paz e a reconciliação".

Em setembro do ano passado, os dois lados (Farc e governo) anunciaram um acordo que deveria ser ratificado em seis meses, no dia 24 de março, mas o prazo foi adiado.

Segundo o vice-presidente da sala de imprensa vaticana, padre Ciro Benedettini, e representantes colombianos, o Papa Francisco teve um "papel decisivo" nas negociações de paz. Como forma de celebrar essas conversas positivas, o Papa anunciou que irá para a Colômbia em 2017.

 

 

 

 

Ig