Leonardo não descarta candidatura em João Pessoa, mas fala que PSC pode apoiar Manoel Jr. ou Raoni

Leonardo não descarta candidatura em João Pessoa, mas fala que PSC pode apoiar Manoel Jr. ou Raoni

O ex-deputado federal, Leonardo Gadelha (PSC), que foi candidato a vice-presidente na eleição passada, afirmou que se sente tentado com a possibilidade de disputar a prefeitura de João Pessoa, no pleito de 2016, mas afirmou que o assunto ainda não foi discutido e que o partido segue duas vertentes: candidatura ou apoio a terceiro.

“É um motivo de muito orgulho para quem milita politicamente, mas o assunto não foi tratado no seio do partido”, afirmou lembrando que existem duas vertentes e que todas dependem da vontade absoluta do partido. “Não enfiamos goela abaixo, todas as decisões serão tomadas de maneira colegiada e horizontalizada”, afirmou.

Inicialmente, o projeto do partido é eleger vereadores. Gadelha destacou que está sendo montada uma chapa bastante uniforme e “sem grandes campeões de voto e sem nomes insignificantes”, diz.

Para Gadelha, se o partido tiver candidatura própria, ele fica “tentado e sensibilizado com a lembrança”, mas ratificou que essa discussão ainda não foi feita porque dependeria da vontade da maioria do partido. A segunda vertente é o apoio a uma terceira via e ele destacou a simpatia pelo deputado Federal Manoel Júnior (PMDB) ou Raoni Mendes (PDT).

Gadelha destacou que declarar apoio político a Ricardo Coutinho (PSB) seria incoerência de sua parte, lembrando que o partido fez oposição ao governador, porém que do ponto de vista pessoal não há nenhum problema.

Já com Cartaxo o PSC se mostrou mais aberto. O deputado afirmou que não descarta a possibilidade e que o prefeito tem atravessado um momento difícil em função da escassez de recursos, ele apostava muito num fluxo contínuo de recursos do governo. “Temos acompanhado a crise financeira e acho que ele é bem intencionado e nada impede que voltemos a dialogar”, conta.

Questionado sobre se o PSC estaria mais propenso a uma aliança com o PMDB, o deputado se esquivou afirmando que seria leviano de sua parte afirmar isso, pois as discussões ainda não se iniciaram. “Do ponto de vista pessoal, tenho em Manoel Júnior um dos maiores quadros, mas seria leviano colocar uma posição em nome do PSC”, conclui.

 


Marília Domingues / Fernando Braz