Leilão de Pelé tem pedra, ressonância e arrecada US$ 5 milhões

Leilão de Pelé tem pedra, ressonância e arrecada US$ 5 milhões

O leilão de mais de 1500 itens de Pelé superou as expectativas da própria casa de leilões Julien’s Auctions e arrecadou mais de US$ 5 milhões (R$ 16,9 milhões). A taça Jules Rimet feita especialmente para o Rei do Futebol foi o grande destaque, comprada por US$ 571 mil (R$ 1,9 milhão), seguida de perto pela medalha da Copa de 70, vendida por US$ 501 mil (R$ 1,6 milhão), mas o evento de três dias em Londres também teve uma série de artigos inusitados, além de algumas gafes.

– Arrecadamos mais de 5 milhões de dólares. Foi um leilão impecável, foram vendidos 100% dos lotes – disse à AFP Darren Julien, proprietário da casa de leilões.

Uma pedra foi vendida por R$ 611, um pouco abaixo da estimativa inicial de pelo menos R$ 684. Outro item curioso e que chama muita atenção é uma série de exames de ressonância magnética da cabeça do craque, comprados por R$ 5.007. Desenhos feitos por uma criança em 1980 contando a história de Pelé foram leiloados por R$ 625; o lance vencedor para um certificado da Associação Europeia de Urologia foi de R$ 1.222; passagens e cartões de embarque custaram R$ 3.129; e cartões de hotéis e de milhagens saíram por R$ 3.755.

Tudo foi vendido, incluindo uma pedra, cartões de milhagens, passagens de avião, desenhos (Foto: Divulgação)

Tudo foi vendido, incluindo uma pedra, cartões de milhagens, passagens de avião, desenhos (Foto: Divulgação)

Uma série de documentos de Pelé também esteve presente no leilão, passando por histórico escolar e carteiras de estudante, certificado de alistamento militar, título de eleitor, carteiras de motorista, passaportes, carteiras de atleta de quando jogava pelo Santos e credenciais de diversos eventos. Há também itens curiosos, como os cartões de estacionamento de quando era Ministro Extraordinário dos Esportes, um certificado de Comendador do Samba dado pela Mangueira, ou o cartão de membro do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões no Estado de São Paulo de 1978, como ator.

Os muitos presentes que Pelé ganhou durante sua carreira também chamam atenção. Entre os itens de famosos, estão uma carta do príncipe Charles, um macacão de Emerson Fittipaldi, uma luva de boxe de Éder Jofre, uma raquete de Roger Federer, um berrante de Sérgio Reis, um capacete de futebol americano de Tom Brady. Sem contar artigos típicos de locais que ele visitou, como cocares, tambores, roupas, facas e adagas.

Pelé colocou no leilão até um álbum de fotos de uma viagem que fez a Seychelles em 1979, comprado por R$ 2.503. Um conjunto de varas de pescar de bambu do Rei do Futebol custou R$ 3.129.

O leilão, porém, não escapou de algumas gafes. Um dos itens vendidos foi um bumerangue dado por Carlos Martini Filho, conhecido como Magrão, equivocadamente identificado como o goleiro do Sport. Uma camisa da seleção brasileira também tem uma descrição polêmica. Ela teria sido usada por Pelé entre a Copa de 70 e sua despedida da equipe em 71, mas apresenta o símbolo da CBF, criada apenas em 1979.

Leilão Pelé (Foto: Divulgação)

Camisa com escudo da CBF é equivocadamente atribuída como tendo sido usada por Pelé entre 70 e 71 (Foto: Divulgação)

 
 
G1