Lava Jato recuperou R$ 546 milhões com acordos de colaboração, diz MPF

Lava Jato recuperou R$ 546 milhões com acordos de colaboração, diz MPF

A Operação Lava Jato recuperou R$ 545,9 milhões por meio de acordos de colaboração premiada, segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR). A força-tarefa afirma que os 108 pedidos de cooperação internacional feitos até então pela invetigação permitiram rastrear o dinheiro em contas no exterior.

 

A primeira fase da Lava Jato foi deflagrada em março de 2014 e desvendou um esquema de corrupção, cartel, desvio e lavagem de dinheiro, principalmente, na Petrobras, mas também em outros órgãos públicos. Estão envolvidos servidores públicos, políticos, empresários e operadores financeiros.
 
Atualmente, a operação está 30ª etapa. São 59 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), envolvendo pessoas como foro privilegiado, e mais 41 ações criminais pela Justiça Federal no Paraná.
 
Dos R$ 545,9 milhões, R$ 79 milhões retornaram ao país por colaborações firmadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e R$ 466 milhões a partir de acordos firmados junto à força-tarefa Lava Jato em Curitiba e ao MPF no Rio de Janeiro. Parte deste dinheiro já foi devolvido para a Petrobras.
 
Os procuradores afirmam que além de agilizar o processo de recuperação do dinheiro, a cooperação internacional aprofunda a investigações sobre a possível participação de agentes ou representantes de empresas estrangeiras que tenham sido beneficiadas pelo esquema de corrupção existente na Petrobras.

 

 

Veja alguns países que cooperaram
Alemanha
Andorra
Antígua e Barbuda
Áustria
Bahamas
Canadá
China
Espanha
Estados Unidos
França
Gibraltar
Hong Kong
Ilhas Cayman
Ilha de Man
Israel
Itália
Liechtenstein
Luxemburgo
Macau
Mônaco
Noruega
Países Baixos
Panamá
Portugal
Reino Unido
República Dominicana
Singapura
Suécia
Suíça
Uruguai
 
Outros 12 países fizeram 14 solicitações de cooperação internacional ao Brasil: Andorra, Argentina, Costa Rica, Dinamarca, Guatemala, Itália, Liechtenstein, Panamá, Peru, Porto Rico, Suíça e Uruguai.
 
 
 

 

G1