Lava Jato investigará área de Comunicação da Petrobras

Lava Jato investigará área de Comunicação da Petrobras

As investigações da Operação Lava Jato vão abranger outras áreas da Petrobras, inclusive departamentos "quase intocados", como o setor de Comunicação da empresa, afirmou nesta sexta-feira o procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, integrante da força-tarefa federal montada para apurar o caso.

O procurador disse também que o MPF irá pedir, junto ao juiz federal Sérgio Moro, o ressarcimento de valores desviados da Petrobras que, inicialmente, podem chegar a 1 bilhão de reais.

A Polícia Federal e o MPF anunciaram nesta sexta-feira uma nova fase da Lava Jato, que abrange investigações sobre empresa de publicidade contratada pela Caixa Econômica Federal e pelo Ministério da Saúde.

À medida que a Operação Lava Jato investiga irregularidades em outros órgãos públicos federais, como em contratos de publicidade do Ministério da Saúde e da Caixa, Santos Lima também indicou que haverá inquéritos sobre outras áreas da Petrobras.

"Desde o aparecimento da funcionária Venina (Velosa Fonseca), nós sabemos de irregularidades na área de Comunicação, mas isso tem sido deixado de lado diante do volume de informações de casos mais relevantes que surgem a todo momento", disse Santos Lima, após coletiva de imprensa na sede da PF em Curitiba.

Venina disse ter alertado a alta cúpula da Petrobras sobre irregularidades na estatal antes das descobertas decorrentes da operação Lava Jato, lançada no ano passado e que investiga um esquema de desvio de recursos da Petrobras por meio de sobrepreços em obras da estatal.

A corrupção envolveria políticos e empreiteiras, segundo as investigações, além de ex-diretores da petroleira.

Questionado sobre se as investigações avançariam para a área de Comunicação, ele disse: "Claro. Se permitirem, nós vamos olhar para todos os aspectos da relação da Petrobras e de todos os órgãos que aparecerem".

Procurada, a Petrobras não comentou imediatamente as declarações do procurador. A estatal disse anteriormente que tem colaborado com as investigações.

Valores a serem ressarcidos

O procurador disse ainda que irá solicitar ao juiz Sérgio Moro a liberação de valores a serem devolvidos à Petrobras por perdas relacionadas aos alegados casos de corrupção.

"Hoje, em um ano (após o início das investigações), podemos falar em aproximadamente, sem medo de errar, 1 bilhão de reais de ressarcimento", disse Santos Lima a jornalistas.

 
 
 
 

180 Graus