Justiça nega liberdade a advogado que deu golpe em mais de 30 mil clientes

Justiça nega liberdade a advogado que deu golpe em mais de 30 mil clientes

A Justiça negou tarde de terça-feira (23) o pedido de liberdade do advogado Maurício Dal Agnol, preso na segunda-feira (22), no Rio Grande do Sul. Ele é suspeito de dar golpes em mais de 30 mil clientes. Segundo a PF (Polícia Federal), ele pretendia fugir para os Estados Unidos. A decisão é liminar e o mérito ainda precisa ser julgado.

 

A prisão aconteceu quando Dal Agnol saía do escritório em Passo Fundo. Ele foi algemado e levado ao presídio. Dentro do carro dele, havia um passaporte com visto americano e R$ 200 mil em dinheiro, como explica o promotor Álvaro Poglia. 

— Havia a grande possibilidade, pelos indícios arrecadados, pelos informes desse monitoramento, de que ele poderia fugir, ou seja, evadir-se aqui de Passo Fundo. 

Polícia apreendeu um passaporte com visto americano e R$ 200 mil em dinheiroReprodução/Rede Record

Marcelo Dal Agnol já havia fugido para os Estados Unidos no início do ano, quando teve prisão decretada por apropriação indébita e estelionato. Ele foi acusado de aplicar golpes em trinta mil clientes. Todos moviam ações contra uma empresa de telefonia. Quando ganhava as causas, o advogado repassava às vítimas apenas uma pequena parte da sentença ou embolsava tudo. Segundo a polícia, ele ficou com R$ 100 milhões.

Desta vez, Dal Agnol é suspeito de falsificação de documento público e porte ilegal de arma. Ele forjou o alvará do mecânico Arlindo Pacheco, que deveria ter recebido R$ 66 mil. Mas, na cópia, a sentença foi reduzida a R$ 16 mil. 

— Eu contava com um dinheirinho para eu reformar a casa, fazer um investimento, virou muito pouco, né.


 

R7