Juros do cartão de crédito passa de 400% em 2015, diz Banco Central

Juros do cartão de crédito passa de 400% em 2015, diz Banco Central

BRASÍLIA – O Banco Central divulgou nesta terça-feira as taxas médias de juros das principais linhas de crédito, com destaque para o juro do rotativo do cartão de crédito, que atingiu a marca de 415,3% ao ano em novembro ante 405,2% de outubro, uma elevação de 10,1 pontos porcentuais na margem.

O juro do rotativo é a taxa mais elevada desse segmento e também a mais alta entre todas as avaliadas pelo BC, batendo até mesmo a do cheque especial. Esta última subiu de 278,1% em outubro para 287,8% em novembro. Ao longo de 2015, as taxas cobradas subiram 83,8 pontos porcentuais, já que em dezembro de 2014 o juro médio dessa modalidade estava em 201% ao ano.

O juro médio total cobrado no cartão de crédito também subiu e foi de 97,5% ao ano em outubro para 99% ao ano em novembro. No caso do parcelado, ainda dentro de cartão de crédito, o juro subiu 3,5 pontos de outubro para novembro, passando de 131,3% ao ano para 134,8% ao ano.

Para o crédito pessoal, a taxa total caiu de 52,9% em outubro para 51% em novembro. No caso de consignado, a taxa passou de 28% para 28,4% de um mês para o outro e, nas demais linhas, de 129,3% para 120,4%.

No caso de aquisição de veículos para pessoas físicas, os juros passaram de 25,9% para 26,2% de outubro para novembro.

A taxa média de juros no crédito total, que também inclui as operações direcionadas, caiu de 30,5% em outubro para 30,4% em novembro.

Inadimplência. A taxa de inadimplência no mercado de crédito com recursos livres subiu para 5,2% em novembro ante 5% em outubro. Para pessoa física, houve estabilidade de um mês para o outro, com a taxa em 5,8%. Já para as empresas, avançou de 4,3% de um mês para 4,5% o outro. Desde o início do ano, verificava-se uma certa estabilidade no volume de calote ao sistema financeiro.

A inadimplência do crédito direcionado apresentou leve alta de outubro (1,4%) para novembro (1,5%). O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 3,3% em novembro ante 3,2% em outubro.

No crédito livre para pessoa física, a inadimplência no crédito pessoal subiu de 3,8% em outubro para 4,1% em novembro. No cheque especial, avançou de 14,3% para 15,1% na mesma comparação mensal.

Na aquisição de veículos para pessoas físicas, aumentou de outubro para novembro, passando de 4% para 4,1%. Esta taxa ficou inalterada de dezembro do ano passado até agosto em 3,9%. No cartão de crédito, caiu de 8,2% para 7,4% na mesma comparação.

 

 

 

Estadão