Juízes, promotor, sindicalistas e funcionários se reúnem com prefeito de Piancó e cobram regularização salarial

Juízes, promotor, sindicalistas e funcionários se reúnem com prefeito de Piancó e cobram regularização salarial

As juízas Izabella Joseane e Vanessa Moura Pereira se reuniram na manhã desta quarta-feira(04) em seu gabinete, com funcionários, vereadores, representantes sindicais, prefeito de Piancó, advogado e contadora municipal e discutiram a regularização salarial dos servidores, além de outros assuntos.

Durante a reunião, os servidores demonstraram insatisfação com o tratamento de alguns secretários e auxiliares do chefe do executivo com os funcionários. Falaram do atraso do terço de férias de 2013 e 2014, dezembro de 2012 e 500 reais retirados em janeiro de 2013.

O prefeito alegou que, o bloqueio das contas públicas inviabilizou o pagamento dos funcionários. Sobre os 500 reais retirados em 2013, o gestor afirmou não haver uma Lei sobre o caso. Os funcionários e sindicalistas rebateram o gestor e confirmaram que a Lei existe desde 2011.

(Lei nº1089 de 06 maio de 2011; discrimina valores salariais de 1.500 reais para os profissionais de nível superior).

Após as juízas ouvirem prefeito, funcionários, sindicalista, advogado e contador municipal. Recomendaram diálogo para resolver todas as questões. Elas também pediram prudência e organização no Poder Executivo de Piancó. Além de parabenizar os funcionários por buscar seus direitos.

No entanto, o representante do Ministério Público Uirassú de Melo, afirmou que, já propôs diálogo com município, em julho de 2014 e recomendou o pagamento do servidor em dia. Porém, o assunto não foi cumprido pela administração.

Só depois, a promotora do Patrimônio Público Érica Bueno, entrou com uma Ação Civil Pública, pedindo o bloqueio das contas do município. Uirassú de Melo lamentou a situação e pediu ao prefeito zelo pelo patrimônio público, respeito aos funcionários e que o ano de 2015, não ocorra à mesma situação vexatória que, em 2014.

“É triste o que vi e ouvi dos servidores e da sociedade, o lamento por falta de pagamento sem explicações” Disse o Promotor de Justiça.

E finalizou “Fiquei surpreso com a notícia que a prefeitura vai fazer carnaval. Então, se tem dinheiro para festa, deve haver dinheiro para pagar fornecedor e funcionários. Reflita e repense essa festa prefeito”.

A juíza Isabella Joseane disse ao prefeito: “Ao invés de fazer carnaval, cumpra os deveres e obrigações de gestor, pague aos funcionários e aos demais”.

Um dos advogados da prefeitura, Marcilio Batista, propôs fazer um levantamento dos débitos em atraso, e pediu para formar uma comissão com funcionários e sindicalistas para encontrar uma solução para os salários em atraso, terço de férias e 500 reais retirados em janeiro de 2013.

O promotor e as juízas ainda alertaram e recomendaram que o pagamento não ultrapassasse o dia 20 de cada mês e sugeriu que não houvesse contratações em excesso, diminuição nos cargos comissionados e a não realização do carnaval.

Somente em janeiro de 2015, Piancó recebeu mais de três milhões de reais.

 

Vale News PB