Juiz proíbe prefeita Boa Ventura de transferir funcionários

Juiz proíbe prefeita Boa Ventura de transferir funcionários

O juiz Carlos Barreto, da comarca de Itaporanga, determinou, na última quarta-feira (09),  a suspensão dos efeitos da Portaria 17/2016, assinada pela prefeita de Boa Ventura, Leonice Lopes(foto) , no dia 26 de fevereiro, que determinava a transferência da professora Josefa Gomes Lacerda para uma escola do sítio Mundões por suposta perseguição política.

A professora, que é esposa de um vereador da base de oposição na Câmara Municipal, é concursada na Prefeitura desde 2009 e, há muito tempo, leciona na escola do sítio Ranchinho, mas foi surpreendida pela decisão da prefeita de removê-la para o sítio Mundões, que fica bem distante da cidade.

O vereador Moura, marido da professora, viu suposta perseguição política no ato da prefeita e acionou a Justiça, que deferiu liminar em favor de Josefa Gomes, determinando seu retorno à sua lotação originária, que é a escola Pedro Bento da Silva, localizada no sítio Ranchinho.

Em seu despacho, o magistrado alerta a prefeita de que o não cumprimento da decisão pode constituir crime de desobediência. O mérito da questão ainda será julgado.

 

 

 

 

 

Mais PB