Jovem paraibana consegue nota mil no Enem

Jovem paraibana consegue nota mil no Enem

“Passei cerca de 30 dias escrevendo uma redação por dia. Treinei muito. Fiz um planejamento anual apenas para me preparar para a redação”. O esforço de Cecília Lima, paraibana de 25 anos, rendeu a ela a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ela explica que a nota 1000 na redação foi fruto de muito treino e, principalmente, do conhecimento dos critérios cobrados pelos corretores das redações.“Passei cerca de 30 dias escrevendo uma redação por dia. Treinei muito. Fiz um planejamento anual apenas para me preparar para a redação”. O esforço de Cecília Lima, paraibana de 25 anos, rendeu a ela a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ela explica que a nota 1000 na redação foi fruto de muito treino e, principalmente, do conhecimento dos critérios cobrados pelos corretores das redações. 

“Não basta escrever bem para chegar à nota máxima na redação do Enem, é fundamental que o candidato tenha domínio dos critérios que são cobrados nesta etapa do exame. É importante ter um conhecimento prévio do tema da redação, um repertório cultural, mas é preciso escrever aquilo que os corretores querem ler: as conjunções, tese, proposta de intervenção e os demais critérios”, explicou.

Formada em Jornalismo pela UFPB e constando no currículo a passagem pelos principais jornais de João Pessoa, Cecília Lima garante que o conhecimento jornalístico ajudou apenas na rapidez da organização das ideias para colocar no papel. Ela explica que o texto feito para informar é completamente diferente do que é exigido na dissertação argumentativa do Enem.

“O texto dissertativo para vestibular é muito diferente do texto que eu estava habituada a escrever, do texto jornalístico. A ordem em que você coloca as informações, a linguagem, tudo. Foi uma dificuldade me desprender desse tipo de texto para voltar a escrever como uma redação escolar”, completou.

Cecília explica que o planejamento foi escrever uma redação por semana no primeiro semestre de 2015 e pelo menos duas redações por semana no segundo. “Entre agosto e setembro cheguei a escrever uma redação por dia”, destacou.

Além do treino, a paraibana assistia a aulas online de dicas para a redação e corrigia redações feitas por colegas que também se preparavam para o Enem. “Por ser jornalista e ter alguma experiência com escrita, muitas colegas pediam pra eu corrigir os textos delas. Esse intercâmbio foi importante para eu também melhorar meus próprios textos”, comentou.

Apesar de todo preparo, ela garante que a nota máxima foi recebida com surpresa. Cecília garante que acabou não gostando tanto do texto. “No início de 2015 escrevi uma redação sobre o aniversário da Lei Maria da Penha, que é um assunto que tangenciava o tema, mas sempre me informei sobre os casos de violência contra a mulher. Achei que tinha cometido alguns erros no texto que me tirariam alguns pontos, mas não aconteceu. Fiquei muito feliz com o desempenho”, relatou.

Tentando pela segunda vez entrar em Medicina, a jornalista afirmou que desistiu da carreira por conta das limitações do mercado e pela pouca perspectiva. Cecília Lima foi um dos candidatos que se destacaram pelo bom desempenho no aplicativo feito pelo G1 para Enem. Cecília figurou no grupo seleto de usuários que mais conseguiram "medalhas virtuais" (as chamadas "conquistas"), como recompensa por bons desempenhos no jogo. À época, Cecília obteve 19 das 25 medalhas possíveis no app. Além dela, somente outros três jogadores conseguiram números parecidos.

 

 

 

G1