João Azevedo reitera que seu único ato político foi colocar o nome a disposição do PSB

João Azevedo reitera que seu único ato político foi colocar o nome a disposição do PSB

Os socialistas só falam dele, mas ele não decide e, enquanto isso, precisa esperar pelo passo a passo do PSB até a batida do martelo. Porém, nos bastidores da legenda o nome do secretário João Azevedo é dado como certo para a disputa majoritária do próximo ano, em João Pessoa. Prudente, JA segue a orientação do governador Ricardo Coutinho com a frase: "Eu coloquei meu nome à disposição do partido".

 

Em conversa com a reportagem, Azevedo disse que a definição passa por três fases. "Primeiro, se o partido terá candidato próprio; segundo, o perfil dos candidatos e, por último, os nomes colocados à disposição". Ele adiantou que "estamos aguardando o desenrolar desse processo", complementou.

Além de Azevedo, existem outros quatro nomes lembrados como possível pré-candidatos da legenda para a disputa pela Prefeitura de João Pessoa nas eleições de 2016. Pela ordem, depois de JA: deputada Estela Bezerra, deputado Hervázio Bezerra, secretário Tibério Limeira e Laura Farias, ex-secretária de Administração da "Era" Ricardo Coutinho prefeito da Capital.

Na conversa com a reportagem, perguntado se iria para o embate interno, João Azevedo afirmou a necessidade do partido seguir unido para a corrida eleitoral do próximo ano. "É preciso evitar o que aconteceu em 2012". Ou seja, o PSB optou por outra candidatura ao invés de seguir com à reeleição do prefeito Luciano Agra, à época.

Garante que não está fazendo "lobby" para ser o nome do PSB. "De forma alguma; estou trabalhando na Secretaria e meu único ato político foi colocar meu nome à disposição do partido". Disse também que não tem tratando desse assunto com o governador Ricardo Coutinho. "Repito: minha relação com o governador é apenas administrativa".

- E no PSB? "O partido recebeu de mim que meu nome está à disposição", concluiu.

 

 


Marcone Ferreira