Jeová Campos afirma que vai cobrar informações dos prazos de conclusão da obra da transposição do São Francisco

Jeová Campos afirma que vai cobrar informações dos prazos de conclusão da obra da transposição do São Francisco

O deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB, Jeová Campos  que vai cobrar informações dos prazos de conclusão da obra da trasposição do São Francisco “ que antes do afastamento da presidenta Dilma, o ex-ministro  da Integração Nacional, Gilberto Occhi tinha prometido para o começo de 2017, mas, com o golpe as informações ficaram desencontradas”, disse Jeová.

Jeová Campos, que foi o entrevistado Programa Rádio Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação desta quarta-feira (6), afirmou que a visita da comitiva de técnicos e de integrantes do Conselho Estadual de Recursos Hídricos é de suma importância “ pois vamos ter a oportunidade de ver como está o andamento da obra in loco,conhecer com mais propriedade como ela vai funcionar” justificou. A visita acontece nesta quinta-feira (07) e na sexta-feira (08) e inclui passagens por  Sertânia, Custódia e Floresta,  no  vizinho estado de Pernambuco. O presidente da AESA, João Fernandes vai coordenar a inspeção.

A comitiva começa a visita pelo município de Monteiro, no Cariri paraibano, que é onde termina a parte do Eixo Leste da obra, segue para Sertânia, onde visitam, outro trecho e depois segue para Custódia, onde pernoitarão. No dia seguinte, a visita será no canteiro de obras de Floresta. Esse trecho, segundo informações do Ministério da Integração, está com mais de 80% do cronograma concluído.

 

Detalhes da obra

As obras do projeto de Integração do Rio São Francisco englobam, entre outras estruturas, a construção de quatro túneis (um dos quais de 15 km de extensão), 14 aquedutos, nove estações de bombeamento e 27 reservatórios. Elas foraminiciadas em 2007 e, atualmente, estão com mais de 80% pronta, contemplando 477 quilômetros de canais – formando os eixos Norte, que vai de Cabrobó (PE) a Cajazeiras (PB), e Leste, com início em Floresta (PE) e término em Monteiro (PB) – para conduzir a água no semiárido nordestino.

As obras garantirão segurança hídrica para 12 milhões de habitantes, de 390 municípios dos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. A Paraíba é o estado com mais cidades beneficiadas com a obra. No total, serão 90 municípios. A expectativa é concluir a totalidade do empreendimento entre dezembro deste ano e o início de 2017. O Projeto é tido como a maior obra de infraestrutura hídrica do Brasil.

 

 

 

 

 

 

\Assessoria