Inscrição para concurso de Logradouro vai até esta segunda

Inscrição para concurso de Logradouro vai até esta segunda

Alfredo Moser é mecânico de carros na cidade de Uberaba (MG). Em um dia de corte de energia, em 2002, o brasileiro teve uma ideia hoje considerada genial: utilizar garrafas pet com água e uma pequena quantidade de cloro, a fim de usar em seu favor a refração da luz do sol. A solução encontrada por Alfredo se espalhou pelo mundo e já atingiu a marca de 1 milhão de casas, segundo a BBC.

"Adicione duas tampas de cloro à água da garrafa para evitar que ela se torne verde (por causa da proliferação de algas). Quanto mais limpa a garrafa, melhor", explica Moser. Ele faz buracos nas telhas e então, com cuidado, encaixa as garrafas cheias de água. "Você deve prender as garrafas com cola de resina para evitar vazamentos. Mesmo se chover, o telhado nunca vaza, nem uma gota", diz o inventor.

Ainda segundo o Thomas Edison dos tempos modernos, a lâmpada funciona melhor se a tampa for encapada com fita preta. "Um engenheiro veio e mediu a luz. Isso depende de quão forte é o sol, mas é entre 40 e 60 watts", afirma Moser, que já instalou "garrafas de luz" na casa de vizinhos e até mesmo no mercado do bairro. Nas Filipinas, as garrafas já foram instaladas em mais de 140 mil casas. A invenção de Moser já chegou também a países como Índia, Bangladesh, Tanzânia, Argentina e Fiji.

 

 

 

180 Graus