Incra avalia implantação de sistema de monitoramento de assentamentos

Incra avalia implantação de sistema de monitoramento de assentamentos

Técnicos da Divisão de Desenvolvimento de Assentamentos do Incra/PB participaram, na última segunda-feira (9), na sede da autarquia em João Pessoa, de uma oficina de avaliação do Sistema de Informações, Gestão e Monitoramento de Assentamentos (Sigma). Implantado há um ano, o sistema já reúne 80% dos dados dos assentamentos paraibanos.

A ferramenta contém informações detalhadas de cada região, assentamento e famílias que fazem parte da Reforma Agrária na Paraíba. Há dois meses, o Sigma tem servido como fonte de dados para o planejamento executivo da Assessoria Técnica, Social e Ambiental à Reforma Agrária (Ates).

A oficina também serviu como nivelamento técnico para novos servidores do Incra/PB e novos técnicos de articulação das entidades prestadoras de assistência técnica em assentamentos da Paraíba. Eles receberam informações sobre a importância do Sigma, sua estrutura de dados e funcionalidade.

Para Valdivan Almeida, coordenador de Ações Territoriais do Instituto de Assessoria à Cidadania e ao Desenvolvimento Local Sustentável (IDS), que atua como articulador nas áreas de assentamentos de equipes técnicas desde 2012 e é responsável pela implantação do sistema, a principal característica do Sigma é facilitar o planejamento das ações de assistência técnica nos assentamentos paraibanos.

“Serão disponibilizadas informações produtivas, como dados referentes à produção animal, vegetal e agrícola; informações econômicas, como renda familiar e produção de cada área; dados ambientais e recursos naturais; informações da comunidade, como infraestrutura; informações sociais, escolaridade dos assentados, estado civil, existência de assistência de saúde através do Programa de Saúde da Família (PSF), entre outras. Uma série de dados que servirá para vários campos de pesquisa”, afirmou Valdivan.

Entre os encaminhamentos do encontro estão a realização de oficinas de nivelamento técnico em cada núcleo territorial atendido pelas entidades de Ates e a identificação de ajustes necessários na inserção de dados no sistema e na geração de relatórios informativos. Também ficou decidido que, no segundo semestre de 2014, será realizada uma campanha educativa junto às famílias assentadas para a apresentação do Sigma. "As famílias assentadas precisam saber para onde vão as informações prestadas e o que pode ser elaborado a partir da análise desses dados", explicou Valdivan.

 

 

 

Assessoria