Hugo Motta diz que ministro da Saúde sofre de microcefalia política

Hugo Motta diz que ministro da Saúde sofre de microcefalia política
o deputado federal Hugo Motta (PMDB/PB), que disputa hoje a liderança do seu partido na Câmara Federal, previu uma vitória sua com uma margem pequena de quatro a cinco votos de diferença contra o seu oponente, o deputado federal Leonardo Picciani (PMDB/RJ). Hugo não viu interferência do governo federal na exoneração do ministro da saúde, Marcelo Castro, que deixou o Ministério para votar em Picciani, mas criticou Castro: demonstra que não tem compromisso com a sociedade.

 

Para Hugo, a saída de Marcelo Castro do Ministério foi uma decisão pessoal e demonstra que o ministro não tem compromisso com a sociedade, já que diante de uma epidemia tão grave como a que o país atravessa com os casos de Zika Virus, deixa o cargo para se preocupar com uma questão menor que é a eleição de líder partidário. Para Motta, o ministro sofre de microcefalia política, numa claro referência aos casos de microcefalia que estão sendo investigados no país e que podem ter referência com o Zika Virus.
 

Mesmo com a saída do ministro e de dois secretários do Rio para votar no seu adversário, Hugo acredita na vitória. “Apesar de ser uma eleição acirrada, vamos vencer com uma margem de 4 ou 5 votos”, destacou. Para o paraibano somente sua candidatura é capaz de reunificar o partido. Ele garante que manterá o diálogo com o governo, caso seja eleito.
 

Hugo Motta garante que não viu digitais diretas do governo de interferência , o, mas atestou participação do governo e da prefeitura do Rio de Janeiro e pressão em outros governadores. “Mas nesta disputa, vale muito mais o relacionamento do dia a dia, o olho no olho com os colegas, do que esses fatores externos”.
 

Por fim, Hugo revelou que se ganhar a eleição, vai discutir com a bancada o posicionamento do ministro Marcelo Castro e se ele continuará representando a bancada na Esplanada dos Ministérios. 
 
 
 
 
 
 
 
wscom