Hospital de Trauma lança Campanha de Queimaduras com novidades em transplante de pele

Hospital de Trauma lança Campanha de Queimaduras com novidades em transplante de pele
O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, realiza nesta terça-feira (31), por meio do setor de Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), o lançamento da XIV Campanha de Prevenção às Queimaduras “Marcas que Ficam Para Sempre” 2016. O evento acontecerá às 9h, no auditório da unidade de saúde. Uma das novidades deste ano é a incorporação de novas tecnologias no tratamento de pacientes considerados grandes queimados.

O coordenador da UTQ, Saulo Montenegro, revelou que a campanha deste ano será focada não somente na prevenção de acidentes, mas em palestras e cirurgias. “Serão mostradas as últimas novidades com relação à tecnologia de transplante de pele: como utilização da pele de tilápia e a utilização de matriz dérmica. Além disso, continuaremos com as ações educativas em comunidades mais carentes e pontos de maior circulação de pessoas na Capital. Também terão palestras em escolas de Ensino Fundamental públicas e privadas, como também um trabalho de conscientização com os acompanhantes e visitantes dos pacientes internos na instituição”, frisou.

Um dos palestrantes será o cirurgião plástico pernambucano Marcelo Borges, que é o idealizador do estudo pioneiro no mundo que propõe o uso da pele da tilápia como curativo biológico temporário nos pacientes. O novo método promete diminuir a dor, o risco de infecção e melhorar a cicatrização das feridas.

Para a coordenadora de enfermagem da UTQ, Dessirée Mazocco, essas ações educativas vêm diminuindo gradativamente os números de pacientes que dão entrada na unidade vítimas de queimadura, conforme constatado em 2015. “Ano passado deram entrada 1.234 pacientes, um número pouco menor do que em 2014, quando entraram 1.327, uma redução de 7,6%. Outro aspecto que chamou atenção da unidade hospitalar foi a redução no número de pacientes considerados médios e grandes queimados internos”, exemplificou.

 

 

 

 

Secom-PB