Homem revela que estuprava a enteada de nove anos para 'desopilar' enquanto criança chorava

Homem revela que estuprava a enteada de nove anos para 'desopilar' enquanto criança chorava

O popular Francinaldo Valdivino, residente no Alto do Dnocs, procurou o Conselho Tutelar da cidade na sexta-feira (22) e informou que teria cometido um estupro contra sua enteada de apenas 9 anos de idade. O caso aconteceu na cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba.

Diante do que foi exposto por Francinaldo, um conselheiro imediatamente acionou a polícia militar que esteve no local e encaminhou o acusado à delegacia da mulher para serem adotados os procedimentos cabíveis.

Em entrevista à nossa reportagem nesta quarta-feira (27) a delegada Yvna Cordeiro, responsável pela delegacia da mulher concedeu entrevista ao Portal e TV Online Diário do Sertão. De acordo com a delegada, o caso é muito delicado porque é um problema de estupro de vulnerável, primeiro, pelas consequências penais por ser um crime hediondo que tem uma pena muito alta dentro do código penal brasileiro. 

“O que ocorreu ainda tem a consequência social porque todo cidadão quer o assunto resolvido devido chocar toda uma sociedade, e por fim, ainda tem as consequência pessoal da vítima, que é apenas uma criança de 9 anos que perdeu a inocência, infelizmente”, relatou.

A delegada da mulher disse à nossa reportagem que ficou sabendo desse caso pelo conselho tutelar da cidade de Santa Cruz. A menina de 9 anos reside a mãe e o padrasto, além de mais dois irmãos que são frutos do relacionamento do acusado e sua mãe. 

Segundo a delegada, os sinais de comportamento da criança vieram ao conhecimento quando a menina foi para à casa da avó paterna, na cidade de Santa Cruz. Quando estava próximo de retornar à cidade de Sousa ela começou a apresentar sinais depressivos. A vítima chorava muito, situação de isolamento e muito triste. Então, o irmão mais velho de 12 anos que reside com a avó paterna perguntou o que está causando o sofrimento. A menina contou que já havia sido abusada outras vezes e isso vem de sendo feito há algum tempo.

De acordo com a delegada Yvna Cordeiro, a menina de 9 anos quando veio prestar esclarecimentos na delegacia chorava muito com medo da possibilidade de retornar ao lar e conviver com o agressor. Depois de todo um trabalho da delegacia da mulher a menina contou mais detalhes com mais tranquilidade. “A menor contou com foi o abuso e ainda relatou que estava acontecendo à prática há algum tempo”, disse.

Yvna Cordeiro disse à nossa reportagem que o acusado veio se apresentar na delegacia junto com membros do conselho tutelar. E o mesmo tinha convicção que com a apresentação espontânea iria evitar qualquer tipo de consequência. No interrogatório confessou tudo de uma forma fria e passiva. “O que me chocou foi o que ele me falou: chegava em casa estressado do trabalho e queria desopilar, e assim cometia as prática”, argumentou.

Já foi solicitado o laudo sexológico e acompanhamento psicossocial do CREAS, recebendo o resultado do exame o acusado vai ser penalizado, de acordo como requer a lei.

 

 

 

Diário do Sertão