Greve: Servidores da UEPB cruzam os braços por tempo indeterminado

Greve: Servidores da UEPB cruzam os braços por tempo indeterminado

Os servidores técnicos administrativos da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) estão em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada após assembleia realizada, nessa quinta-feira (12), no Campus I da Universidade, localizado no bairro de Bodocongó, em Campina Grande, atinge os oito campi da instituição. A categoria reivindica um reajuste salarial de 8% e melhoras na universidade.

A assembleia contou com a presença de mais de 300 servidores e representantes de órgãos como o de Servidores da Universidade Federal de Campina Grande, Fórum Nacional dos Servidores Públicos Federais, estudantes universitários e do setor executivo da Sintesp-PB de João Pessoa. A greve deve contar com adesão de servidores do quadro efetivo espalhados em 8 campi no estado, localizados nas cidades de Campina Grande, João Pessoa, Lagoa Seca, Catolé do Rocha, Patos, Monteiro, Guarabira e Araruna

Reivindicações

Os servidores públicos pedem também a correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias; índice linear de 27,3%; data base para 1º de maio; direito de negociação coletiva; paridade salarial entre ativos e aposentados; retirada dos projetos do congresso nacional que atacam os direitos dos servidores; isonomia salarial e de todos os benefícios entre os poderes; anulação da reforma da Previdência; extinção do fator previdenciário; fim da terceirização; concurso público pelo Regime Jurídico Único; combate a toda forma de privatização; e aprovação da PEC 555, que extingue a cobrança previdenciária dos aposentados.

Com o objetivo de pressionar governo e reitoria para o mais breve possível solucionar os problemas que afetam os servidores técnicos administrativos, Segundo a Associação dos Funcionários da Universidade Federal da Paraíba (Sintesp-PB), a greve é fruto do desrespeito a data base da categoria - que tem como data o mês de janeiro - e que até este momento não se confirmou nenhum direcionamento da reitoria em implantar o percentual de 8% aprovado no CONSUNI.

 

 

Click PB