Grávidas do programa Bolsa Família vão receber repelente do governo, garante ministro

Grávidas do programa Bolsa Família vão receber repelente do governo, garante ministro

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, afirmou nesta segunda-feira (25) que o governo brasileiro distribuirá às grávidas cadastradas no programa Bolsa Família repelentes para que possam se proteger do mosquito Aedes egypti, que transmite o Zika vírus, apontado como responsável pelos casos de microcefalia que têm sido registrados no país desde o fim do ano passado.

O ministro voltou a se reunir nesta segunda com a presidente Dilma Rousseff e com mais cinco ministros para discutir medidas de combate ao mosquito. Além do Zika vírus, o Aedes aegypti transmite, por exemplo, a dengue e a febre chikungunya.

"Vamos distribuir [repelentes]. Na quarta, teremos encontro aqui no [Palácio do] Planalto com fabricantes de repelentes para ver a quantidade que eles podem fornecer. Vamos adquirir e distribuir para as pessoas que sejam gestantes e que estejam no Bolsa Familia. Às outras pessoas, recomendamos que usem os repelentes aprovados pela Anvisa", disse Castro.

Foram chamados ao Palácio do Planalto, nesta segunda, seis ministros: Marcelo Castro (Saúde), Aloizio Mercadante (Educação), Edinho Silva (Comunicação Social), Gilberto Occhi (Integração Nacional), Jaques Wagner (Casa Civil) e Tereza Campello (Desenvolvimento Social).

Segundo apurou o G1, o grupo discutiu, entre outras medidas, o combate in loco ao Aedes aegypti, mobilização social e campanhas publicitárias com o objetivo de conscientizar a população sobre como prevenir que o mosquito se prolifere e espalhe vírus causadores de doenças.

Medidas de combate nos estados
Marcelo Castro disse que deve propor em nível nacional um programa desenvolvido pelo governo de Goiás por meio do qual as equipes de combate ao mosquito conseguem acompanhar, através de computador, as casas visitadas pelas equipes de vigilância. O ministro disse que técnicos da pasta estão no estado para estudar este programa.

Castro disse também que na próxima sexta (29) a presidente Dilma participará de videoconferência com governadores para discutir medidas de combate ao Aedes aegypti, classificado pelo ministro de “inimigo número um do Brasil”. Segundo o ministro, o governo já está fazendo o “máximo que pode” para combater o mosquito, e é preciso que a sociedade se conscientize sobre as formas possíveis para evitar que o Aedes aegypti se prolifere.

“É preciso informar à opinião pública que temos inúmeros exemplos no Brasil de cidades que a sociedade se mobilizou e conseguiu eliminar o mosquito. É difícil ele ser eliminado? É. Mas não é impossível. Se mobilizarmos a sociedade, ela tiver consciência e resolver eliminar o mosquito, nós conseguiremos”, declarou.

 

 

 

G1