Gramado do estádio de Brasília é preservado dentro das áreas para Brasil x Camarões

Gramado do estádio de Brasília é preservado dentro das áreas para Brasil x Camarões

BRASÍLIA (Reuters) - Desgastado, o gramado das duas pequenas áreas do campo do Estádio Nacional Mané Garrincha foi poupado neste domingo durante o treino de reconhecimento realizado pela seleção de Camarões, que vai enfrentar o Brasil na segunda-feira no local.

Os camaroneses, que treinaram no estádio antes da seleção brasileira, não puderam utilizar as duas balizas uma vez que os locais estavam isolados por faixas e cones, ao menos durante os 15 minutos em que a atividade foi aberta à imprensa.

Visualmente o gramado tinha sinais de desgaste em frente aos dois gols.

A grama do estádio de Brasília foi alvo de críticas na Copa das Confederações do ano passado, quando o local recebeu apenas uma partida. De acordo com a Fifa, se tivesse que receber um segundo jogo daquele torneio o campo não estaria em condições.

A partida Brasil x Camarões será a terceira da Copa do Mundo no Estádio Nacional Mané Garrincha, após Suíça x Equador e Colômbia x Costa do Marfim. A arena ainda vai receber mais quatro jogos do Mundial, incluindo a decisão de terceiro lugar.

A seleção brasileira, que precisa de ao menos um empate com Camarões para se classificar para as oitavas de final sem depender do resultado de Croácia x México, vai realizar o treino de reconhecimento no estádio mais tarde neste domingo.

Os gramados de outros estádios da Copa do Mundo também têm sido motivo de preocupação.

Neste domingo, o técnico do Chile, Jorge Sampaoli, decidiu não levar seu time para fazer o reconhecimento da Arena Corinthians e criticou as condições do campo para a partida de segunda-feira contra a Holanda em São Paulo.

"Preferimos poupar o gramado, que está em péssimas condições, e não queremos destruí-lo ainda mais. Teremos uma partida decisiva em um campo que não condiz com as expectativas", disse Sampaoli a repórteres.

Se passar de fase, o Brasil vai enfrentar Chile ou Holanda nas oitavas.

Os campos de Cuiabá e Manaus também foram criticados por equipes que disputaram partidas nesses locais devido à má qualidade do gramado.

Reuters