Governo vê TCM como avanço; oposição acusa desperdício

Governo vê TCM como avanço; oposição acusa desperdício

O debate sobre a instalação do Tribunal de Contas dos Municípios na Paraíba elevou a temperatura do Frente a Frente, da TV Arapuan, na noite desta segunda-feira.

Apresentador do programa, Heron Cid confrontou as opiniões de Estela Bezerra e Buba Germano, ambos deputados do PSB favoráveis à tese, e Renato Gadelha (PSC) e Tovar Correia Lima (PSDB), da bancada de oposição.

Para Estela, há uma demanda que não vem sendo atendida a contento pelo Tribunal de Contas do Estado. “Não é gasto, é investimento que vai gerar mais adiante economia”, acentuou.

Buba Germano defendeu a ausculta da parte mais diretamente interessada e atingida pela eventualidade do TCM. “É preciso ouvir os prefeitos”, sugeriu.

“A Paraíba está precisando de mais soldados, não de mais conselheiros”, contrapôs Tovar. “Não é prioridade”, complementou Renato.

O clima esquentou entre os parlamentares. Tovar e Estela trocaram alfinetadas quando se relembrou que a instalação do TCM começou no governo Cássio.

Estela provocou: “Suas opiniões são pessoais ou representam um conjunto partidário”?. “Fomos a favor, mas depois percebemos que não era viável”, retrucou Tovar.

Renato Gadelha (PSC) ressaltou a inoportunidade do tema para o momento. Ele criticou o governo e disse que só agora Ricardo Coutinho vai realmente começar sua gestão, já que tudo que fez no primeiro mandato foi “herança” de Cássio e Maranhão.

“O senhor está morando em qual Estado”, perguntou Buba Germano, assegurando que o atual governo investe mais em segurança do que em educação, ao contrário do que apregoa a oposição.

No estúdio, assistindo a discussão, servidores do Tribunal de Contas do Estado tiveram direito a perguntas e questionamentos.

 

 

MaisPB