Governo se reúne com ANA em JP para discutir situação de açudes

Governo se reúne com ANA em JP para discutir situação de açudes

A situação dos açudes Epitácio Pessoa, Coremas e Mãe D’Água será discutida durante reunião entre o Governo do Estado e diretores da Agência Nacional das Águas (ANA). Os reservatórios estão com 17,5%, 17,3% e 20,4% da capacidade máxima, respectivamente. O encontro acontecerá nesta terça-feira, às 15h, na sede da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), em João Pessoa.

Localizado na cidade de Boqueirão, o Epitácio Pessoa abastece Campina Grande e outros 20 municípios. Tem capacidade para 411 milhões de metros cúbicos e está com 72 milhões.

“A situação é preocupante. Precisamos economizar o máximo possível até a chegada do próximo inverno nas regiões do Sertão, Cariri e Agreste”, alertou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

O reservatório de Coremas fica na cidade de mesmo nome e comporta 591 milhões de metros cúbicos. Atualmente está com pouco mais de 102 milhões. Enquanto que Mãe D’Água pode abrigar 568 milhões e possui 116 milhões.

“Desde o dia primeiro deste mês está proibida a retirada da água do rio Piranhas-Açu, que abastece estes açudes, para irrigação. Estamos realizando fiscalizações diárias para garantir que a água seja usada apenas no abastecimento humano e animal”, acrescentou João Fernandes. As inspeções contam com apoio aéreo e são feitas em parceria com a ANA e o Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn).

As barragens Coremas e Mãe d’Água abastecem aproximadamente 500 mil habitantes. Destes, 90 mil são norte-rio-grandenses. Os níveis são acompanhados diariamente pelo Governo do Estado e os dados estão disponíveis na página www.aesa.pb.gov.br.

O site também mostra a situação detalhada de todos os açudes monitorados pela Aesa. Quatro estão sangrando, 44 têm capacidade superior a 20% do volume total, 36 estão com menos de 20% e 40 em situação crítica, ou seja, com menos de 5%. Juntos, os 124 reservatórios comportam 3 bilhões e 700 mil metros cúbicos e atualmente possuem 742 milhões metros cúbicos.

 

 

MaisPB