Governo reúne dados de 500 mil suspeitos de ligação com terrorismo

Governo reúne dados de 500 mil suspeitos de ligação com terrorismo

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse nesta sexta-feira (15) que o governo federal reuniu dados de 500 mil pessoas de todas as partes do mundo suspeitas de associação com terrorismo em um cadastro unificado para a Olimpíada do Rio.

O mapeamento reúne dados de países com Estados Unidos e França e, segundo o Ministério da Defesa, será usado para monitorar o acesso dessas pessoas ao país e às arenas de competição, tanto no Rio quanto nas subsedes dos Jogos Olimpícos.

O ministro informou que, dos 206 países que enviarão atletas à Olimpíada, cerca de cem terão representantes no Centro Integrado de Inteligência Antiterrorismo, que será inaugurado na próxima semana.

“Quem quiser assistir aos Jogos terá de passar por duas barreiras. Na primeira, os dados serão batidos com esse banco. Na segunda, malas, garrafas e recipientes serão passados por um escâner”, afirmou.

Uma “terceira barreira”, segundo o ministro, será o “código de conduta” dentro das arenas. “A pessoa terá de se comportar nos locais de jogos de modo a não chamar a atenção”, declarou em viagem ao Rio nesta sexta.

Segundo o ministro, militares da Força Nacional farão o monitoramento no interior dos estádios, pistas e quadras, prontos para agir em caso de tumulto ou risco. Além disso, um contingente de 8 mil a 10 mil agentes de segurança atuará “à paisana”, sem identificação visual.

‘Brasileiro terrorista’
Jungmann afirmou que, até esta sexta, não havia nenhuma confirmação oficial sobre a suspeita de que um brasileiro ligado ao Estado Islâmico estaria planejando ataques à Olimpíada. O suposto vazamento foi divulgado pela imprensa francesa no início da semana.

“Nós estamos em contato com a inteligência francesa há dois anos e meio, três anos. Nunca nos passaram essa informação vazada. Mobilizamos nossos adidos aqui e lá é não encontramos essa informação”, declarou.

Questionado sobre a necessidade de proteção especial à delegação francesa após o ocorrido em Nice na última quinta (14), o ministro informou que o país europeu já era classificado como de alto risco nos protocolos antiterror.

A lista é composta de cerca dez países, de acordo com a Defesa, e também inclui Estados Unidos e Israel, por exemplo. As outras nações consideradas de alto risco não foram informadas.

O protocolo também prevê médio e baixo risco, com níveis diferentes de monitoramento e escolta. A delegação norte-americana, por exemplo, ficará hospedada fora da Vila Olímpica, na Escola Naval do Rio de Janeiro.

Embarque de tropas
Jungmann embarcou em Brasília na manhã desta sexta com cerca de 200 militares das Forças Armadas que vão atuar nos Jogos Olimpícos, que tem abertura oficial no dia 5 de agosto. O voo desta sexta foi o primeiro no novo Boeing 767 comprado para o transporte de soldados. O G1acompanhou o embarque a convite da FAB.

As tropas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica receberam mais de cem horas de instruções e treinamento específico nos últimos meses para enfrentar situações extremas, como terrorismo ou ataque biológico. As tropas permanecem no Rio até o encerramento da Paralimpíada, que ocorre após os Jogos Olimpícos.

Os militares vão integrar um contingente de 22,8 mil membros das Forças Armadas que atuarão na sede olímpica a partir do dia 24. Eles vão se juntar a soldados do Rio, Mato Grosso, Pará e Amazonas, que chegaram ao Rio de Janeiro durante a semana.

Além das ações de defesa nacional e monitoramento de portos e aeroportos, cerca de 3 mil militares vão atuar em situações de rua similares ao trabalho realizado pelas polícias Civil e Militar.

 

 

 

G1