Governo investe R$ 13,5 mi em pesquisa e inovação tecnológica

Governo investe R$ 13,5 mi em pesquisa e inovação tecnológica

O Governo do Estado assinou, na manhã desta sexta-feira (13), em solenidade no Salão Nobre do Palácio da Redenção, contratos no valor de R$ 13,5 milhões com as 31 empresas paraibanas que tiveram propostas selecionadas no Edital Tecnova. Os recursos serão utilizados para o desenvolvimento de projetos inovadores das áreas de tecnologia da informação, comunicação, eficiência energética, saúde e desenvolvimento social.

O Edital Tecnova foi lançado pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), e o Governo Federal, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Logo após a assinatura dos contratos, o governador Ricardo Coutinho afirmou que não há como pensar o desenvolvimento sem inovação e competitividade em qualquer lugar do mundo. Ele afirmou que o Governo do Estado está investindo R$ 13,5 milhões em micro e pequenas empresas nas áreas de Tecnologia da Informação, Desenvolvimento Social, Energia e Saúde com o desenvolvimento de medicamentos inéditos para o tratamento de herpes e úlcera.

“O Governo do Estado com mais esses investimentos está abrindo as portas para o futuro apostando na tecnologia e inovação”, ressaltou o governador, lembrando que o Governo do Estado também vem investindo nas áreas da educação, saúde, adutoras e estradas.

O presidente da Fapesq, Claudio Furtado, informou que foram selecionadas 31 empresas paraibanas, sendo cinco na área de Tecnologias da Informação e Comunicação; seis na área de Saúde; uma na área de Energia, e 19 na área de Desenvolvimento Social. Ele explicou que,m segundo previsto no edital, as empresas vão receber um aporte de recursos que variam de R$ 189 mil a R$ 597 mil cada.

"O objetivo principal do Programa de Subvenção Econômica é promover um aumento das atividades de inovação e o incremento da competitividade das empresas e da economia local. Desta forma, por meio de chamada pública se apoia projetos de inovação, que envolvam significativo risco tecnológico associado a oportunidades de mercado, o que é estratégico para a Paraíba", explicou Claudio Furtado. 

A secretária executiva de Ciência e Tecnologia, Francilene Procópio, comentou que em 2011 os investimentos foram de R$ 2 milhões em subsídios para inovação. “De lá para cá, esses valores só aumentam, chegando a R$ 13,5 milhões, fruto de parceria entre o Estado, o governo Federal e as empresas", observou.

Dentre as empresas selecionadas está a QZ Industrial Química, de João Pessoa, que desenvolveu o primeiro fármaco antiviral brasileiro para tratamento de herpes. A empresa está recebendo R$ 480 mil para colocar no mercado o novo medicamento em 1 ano e meio. "Depois de mais de 20 anos de estudos, estamos recebendo os incentivos necessários para colocar no mercado a primeira patente brasileira de produto fármaco sintético do Brasil e só agora, com o Tecnova, terá as possibilidades de chegar ao mercado", explicou o coordenador do projeto, Marçal de Queiroz.

A Plasvan Indústria e Comércio, de Campina Grande, outra empresa selecionada no edital, desenvolveu uma cola que substitui o cimento na construção civil, oferecendo uma maior rapidez na construção e redução dos custos. Edvan Rocha, representante da empresa, disse que o produto vai gerar uma economia de 60% nos custos de construção. "Esse é um produto revolucionário no Brasil e no mundo e, graças ao apoio do Tecnova, vamos chegar ao mercado em 60 dias", explicou.

A Avaty Tecnologia desenvolveu o projeto Middleware Mobi8 – Mobilidade e Ubiquidade Aplicados e Gestão Pública, que auxilia profissionais que realizam trabalhos de automação e trabalhos de campo como agentes de trânsito, oficiais de justiça, agentes de saúde. A empresa recebeu um incentivo de R$ 400 mil.

O empresário André Assad informou que com esse software um agente de trânsito, por exemplo, poderá transmitir um vídeo de alguma infração de trânsito ao vivo para uma central de monitoramento ou a notificação das placas de veículos automaticamente para essa central sem necessitar dos talões de papéis. “Com o Tecnova poderemos cobrir os custos das certificações ISO e de fomento tecnológico, por isso é um apoio essencial para competir com empresas do exterior e do Sudeste”, enfatizou.

Também participaram da solenidade de assinatura o vice-governador Rômulo Gouveia; a primeira dama do Estado, jornalista Pâmela Bório; o deputado estadual João Gonçalves; o prefeito de Curral de Cima, Nadir Fernandes; o procurador dos Direitos do Cidadão, Valberto Lira; diretor do Grupo EGEN, Claudio Piomonte; Alcedo de Medeiros, da empresa Pedhuá Brasil; o presidente do Instituto UFPB de Desenvolvimento da Paraíba, João Marcelo Alves; o superintendente do Sebrae PB, Luiz Alberto; e o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae PB, Mário Borba.