Governo investe em humanização e qualificação nas maiores unidades de urgência e emergência do Estado

Governo investe em humanização e qualificação nas maiores unidades de urgência e emergência do Estado

Há 90 dias, o Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, vem intensificando o acompanhamento na rede de emergência hospitalar da Paraíba. No Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, algumas medidas foram adotadas, a exemplo, da contratação de 38 médicos anestesiologistas, que foram recepcionados nesta quarta-feira (1º) pela secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath. Com a entrada da nova equipe de anestesiologistas, um mutirão de cirurgias eletivas ortopédicas foi realizado, nessa quarta-feira, na unidade.

Além da chegada da nova equipe médica, a unidade agora conta com um aparelho de anestesia Diston, que veio para facilitar e otimizar o trabalho dos profissionais de saúde, e também ampliou as salas cirúrgicas de quatro para seis. A secretária Roberta Abath informou que antes a unidade contava com apenas três anestesistas por plantão, agora serão seis, sendo um em cada sala cirúrgica, que é o que preconiza o Ministério da Saúde. “Os médicos que aqui estão atenderam ao nosso convite e farão parte de um novo tempo, em que a prioridade é o comprometimento com a saúde e a vida da população paraibana, por isso, manteremos um bom diálogo com o objetivo de aprimorar os conhecimentos desses profissionais, de valorizá-los, para que, em curto prazo de tempo, tenhamos bons frutos”.

“O maior legado da humanização é o resgate ético de si mesmo”, disse Roberta Abath durante a recepção dos novos médicos. A secretária destacou que as medidas adotadas vêm organizar, agilizar o fluxo de atendimento de forma integrada e multiprofissional, humanizando a porta de entrada da urgência e emergência das maiores unidades da rede hospitalar estadual.

O presidente da Comissão de Residência Médica (Coreme), Gualter Ramalho, afirmou estar muito feliz com tudo que tem acontecido no Hospital de Trauma de João Pessoa, com o trabalho desenvolvido e com os resultados obtidos. “Gosto de desafios, especialmente os que buscam fazer o bem, assim aceitei esta missão e atendi ao convite da secretária Roberta Abath para montar essa equipe. O objetivo é conseguirmos em dois anos ser o melhor serviço público do Norte e Nordeste e um dos cinco melhores do País. Temos tudo para isso, o apoio da gestão, o recurso humano de melhor qualidade, basta agora o empenho, o comprometimento e a autoconfiança. Temos um grande time”, destacou.

Na opinião do coordenador da Anestesiologia, Juliano Tele, essa é uma fase muito importante tanto para os médicos como para os pacientes, pois eles serão os mais beneficiados com a resolução do problema da falta de anestesiologista. “Vamos trabalhar em torno da humanização e da prestação de serviço de qualidade para a população que procura este grande hospital”, frisou.

O médico anestesiologista Patrick Assis, que agora faz parte da equipe, agradeceu o convite feito pela Secretaria de Estado da Saúde. “Fiz minha formação em anestesia aqui no Hospital de Trauma, por isso trabalhar nessa grande instituição é motivo de muito orgulho e satisfação. Sabemos que nenhum serviço é perfeito, mas vamos lutar para fazermos o nosso melhor em prol dos pacientes”, relatou.

Outro novo integrante da equipe, o médico anestesiologista Saulo Viana, parabenizou a iniciativa. “A SES está de parabéns em aumentar o número de anestesiologistas no Hospital de Trauma, já que aqui é o maior Hospital do Estado da Paraíba e precisa de uma atenção especial no que diz respeito à assistência médica humanizada. Nossa preocupação é cuidar do hospital, já que é um patrimônio da população paraibana e precisa de muita atenção”, ressaltou.

Para o superintendente da Cruz Vermelha Brasileira, Milton Pacífico, a população paraibana sai ganhando com a chegada desses novos médicos anestesiologistas no Hospital de Trauma, pois o bem-estar dos usuários é sempre prioridade na gestão. “Todos os segmentos desta unidade de saúde contribuíram para que o projeto de humanização da SES fosse colocado em prática, com todo empenho e dedicação que foi idealizado, pois aqui é uma casa que luta pelo bem da população”.

Já o diretor técnico, Edvan Benevides, defendeu que a chegada dos novos médicos no Hospital de Trauma vai somar com essa corrente do bem que está sendo vivenciada na instituição. “Sempre tentamos oferecer o melhor aos nossos pacientes. É uma honra fazer parte desta instituição, visto que sempre estamos buscando mecanismos para melhorar o atendimento prestado à população paraibana”.

Atendimentos – Somente no mês de março, 6.127 pessoas foram atendidas no Hospital de Trauma de João Pessoa. A unidade realiza uma média de 550 cirurgias mensalmente.

Qualificação – Com o objetivo de qualificar as equipes médicas, os anestesiologistas participaram, na manhã dessa quarta-feira (1º) de um treinamento no bloco cirúrgico do Hospital de Trauma de João Pessoa. “As qualificações fazem parte da estratégia de educação continuada junto à equipe médica, e do programa de anestesiologia da unidade”, disse o diretor técnico Edvan Benevides.

Residências médicas – Outra resolução da SES são as residências médicas, na área de anestesiologia, intensivista e ortopedia e traumatologia. O Hospital de Trauma recepcionou, no mês de março, os novos residentes que vão atuar nas especialidades de anestesiologista, pediatria e ortopedia e traumatologista. Eles vão trabalhar no Trauma e no Hospital Arlinda Marques. 

A Unidade de saúde já formou duas turmas de residentes e atualmente encontra-se com três em andamento. O curso é oferecido a médicos formados em escolas médicas reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) e médicos estrangeiros que preencham os requisitos exigidos no Edital/manual do Candidato nº 4/2015 e na Legislação Brasileira, com diploma devidamente revalidado.

Os formandos do Programa de Pós-Graduação em Anestesiologia, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), no Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, obtiveram a quarta melhor média nacional, destacando-se entre os 98 Centros de Ensino e Treinamento (CETs) existentes em todo o Brasil. A avaliação é realizada anualmente pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) com todos os residentes do país.

Macas Livres – As maiores unidades de urgência e emergência do Estado, os Hospitais de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, e Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, vêm agilizando e humanizando o atendimento sem a necessidade de reter macas ou adquirir macas extras, aprimorando o processo de liberação de macas nas unidades hospitalares.

No Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, as medidas adotadas deram mais celeridade no atendimento dos pacientes da urgência e emergência, e, consequentemente, mantendo a disponibilização de 17 a 20 macas livres por dia; em alguns dias, chegando a 31.

Segundo a diretora geral da instituição, Fernanda Ribeiro, o novo fluxo de atendimento foi estabelecido com todos os profissionais da instituição, em caráter multidisciplinar. “É um trabalho coletivo que requer muita atenção dos membros da assistência, contudo já estamos colhendo os frutos do trabalho, já que em cerca de 40 minutos os pacientes que dão entrada no hospital são avaliados e destinados às áreas de tratamento”, explicou.

A diretora ressaltou que com a celeridade do diagnóstico do paciente e o encaminhamento dele para outros setores da unidade de saúde, bem como para outros hospitais, os leitos ficam disponíveis para novos usuários, assim como também as macas de primeiro atendimento. “Contamos com uma equipe de enfermeiras apoiadoras que, por meio de uma planilha com os nomes de todos os pacientes das áreas vermelha e laranja, conseguem facilitar a comunicação interna dos pacientes com os médicos, agilizando a realização de exames e diagnósticos”, frisou.

Fernanda Ribeiro destacou ainda que a parceria com hospitais que compõem a rede de atendimento do Estado, a exemplo do Hospital São Vicente de Paula, é de extrema importância para o sucesso do fluxo implantando. “Atendemos uma média de 130 a 150 pacientes por dia na urgência e emergência, por isso a implantação desse fluxo vem a somar, no que diz respeito à agilidade no trabalho das nossas equipes multidisciplinar, contribuindo para o atendimento humanizado e ágil para todos os pacientes. Além disso, contamos com o apoio fundamental da secretária de Saúde, Roberta Abath, que por meio de visitas técnicas vem organizando o trabalho interno das equipes e estruturando a rede estadual de atendimento”, observou.

Vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena foi inaugurado em 6 de agosto de 2001. Os serviços oferecidos são de urgência, emergência e de internação para pacientes acometidos de traumatismos. Possui, além de todos os recursos assistenciais, as seguintes especialidades médicas: Anestesiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Plástica, Cirurgia Torácica, Cirurgia Vascular, Clínica Médica Geral, Endoscopia Digestiva, Tratamento Intensivo, Neurocirurgia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Radiologia, Traumatologia, Urologia, Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, Angiologia e Nefrologia.

Trauma de Campina Grande – De acordo com o diretor geral do Hospital de Emergência e Trauma da Campina Grande, Geraldo Medeiros, com o trabalho de acolhimento e triagem dos usuários que dão entrada na unidade, além do redirecionamento dos pacientes, que não faziam parte do perfil do hospital para outras unidades está sendo possível disponibilizar mais macas livres e evitar a retenção de macas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O diretor ainda destacou que a unidade atende à população de Campina Grande e mais 203 municípios do Estado. “Por dia, uma média de 250 a 300 pacientes dão entrada no acolhimento e triagem do hospital. Vinte macas ficam disponíveis por dia no Trauma de Campina Grande. Além disso, um total de 338 médicos faz parte da equipe multiprofissional composta por assistentes sociais, fisioterapeutas, urologistas, técnicos de enfermagem, além de outros profissionais. São 60 médicos de plantão diariamente”, informou.

Vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, o Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes foi inaugurado em 24 de junho de 2011. Os serviços oferecidos são de urgência, emergência e de internação para pacientes acometidos de traumatismos. Possui, além de todos os recursos assistenciais, as seguintes especialidades médicas: Anestesiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Plástica, Cirurgia Torácica, Cirurgia Vascular, Clínica Médica Geral, Endoscopia Digestiva, Tratamento Intensivo, Neurocirurgia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Radiologia, Traumatologia, Urologia, Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, Angiologia e Nefrologia. Além disso, a unidade dispõe da única unidade vascular do Estado, que se destina a pacientes vítimas de doença arterial aguda (AVC esquêmico, infarto agudo do miocárdio, tromboembolismopulmonar).

 
 
 
 
 

Secom-PB