Governador evita falar sobre seu futuro político, ‘pois não costumo planejar com tanta antecedência’

Governador evita falar sobre seu futuro político, ‘pois não costumo planejar com tanta antecedência’

Faltando três anos para a campanha estadual, o governador Ricardo Coutinho (PSB) foi instado a falar sobre o seu futuro político. Ocorreu em Campina Grande, durante entrevista a uma rádio local, admitindo todas as possibilidades e hipóteses. Porém, disse não saber o que vai fazer, “pois não costumo planejar o futuro político com tanta antecedência”.

Ricardo adiantou que “eu não sei e, se soubesse não diria. Eu realmente não sei sobre 2018 e nunca me preocupo com tanta antecedência. Eu admito todas as hipóteses”. A única certeza é que o governador sabe que não poderá mais concorrer a “reeeleição”. Essa possibilidade está descartada. Resta concorrer a uma das duas vagas para o Senado.

Deixou um ponto de interrogação quando falou sobre as eleições de Campina Grande, segundo maior colégio eleitoral do Estado. Disse que vai conversar com o deputado federal Veneziano Vital (PMDB) e Adriano Galdino (PSB), presidente da Assembleia, e decidir o que é melhor para a cidade. No entanto, não revelou o critério que irá adotar para a escolha.

O governador tem demonstrado interesse tanto na eleição municipal de Campina Grande, quanto de João Pessoa, principal colégio eleitoral da Paraíba. Na capital, Ricardo já bateu o martelo na preferência da indicação do nome do secretário estadual de Infraestrutura, João Azevedo.

A dúvida em relação a Campina Grande é como Veneziano irá chegar em 2016, sobretudo se não haverá impedimento jurídico na provável candidatura do peemedebista. Por isso, mantém sempre Adriano Galdino como plano “B” de uma possível postulação à sucessão do prefeito Romero Rodrigues (PSDB).  

 

 

 

Paraíba.com.br