Governador concede reajuste a professores e servidores da UEPB

Governador concede reajuste a professores e servidores da UEPB

O governador Ricardo Coutinho (PSB) editou uma Medida Provisória definindo o reajuste salarial para os professore e servidores técnico administrativos da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Publicado em edição do Diário Oficial do Estado de domingo (6), que circulou nesta terça-feira (8), o texto estabelece um índice de 5%, menor que o proposto pelo reitor Rangel Júnior, em resolução publicada em janeiro.

“A decisão do governador, a Medida Provisória, tem força de lei e cabe a mim respeitar. Eu vou cumprir e implantar o reajuste já neste mês de abril”, disse Rangel Júnior. Na resolução publicada em janeiro, o reitor havia estabelecido um índice de reajuste de 6%, mas Ricardo Coutinho já havia dito que não daria aos funcionários da UEPB um aumento maior do que o linear dado ao restante do funcionalismo público, que foi de 5%.

O reitor Rangel Júnior explicou que os representantes dos servidores técnicos administrativos estiveram dialogando com o governo sobre a revisão do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração, que foi assinado na semana passada, e por isso a categoria já devia estar ciente de que o reajuste seria menor do que o decidido anteriormente. No entanto, ele ressaltou que não houve nenhuma conversa com o corpo docente. “Eu acho que ninguém gosta de receber uma proposta de reajuste abaixo da expectativa que foi criada”, completou o reitor.

A Medida Provisória, que precisa ser aprovada pela Assembleia Legislativa, estabelece que o reajuste tem como referencial os vencimentos pagos em dezembro de 2013 e não será cumulativo com eventual parcela já paga como adiantamento de aumento em 2014. Contudo, Rangel ressaltou que apesar da resolução inicial ter determinado a modificação salarial a partir de janeiro, ela não foi implantada por falta de recursos. “A UEPB está com grandes dificuldades financeiras. Eu vou conversar com o governador para solicitar uma suplementação de verbas e tentar pagar a recomposição retroativa a janeiro”, disse.

O G1 tentou entrar em contato com a direção da Associação dos Docentes da UEPB para que a entidade se posicionasse sobre os reajuste, mas as ligações não foram atendidas.

 

Fonte: G1