Gervásio trata como 'especulação' saída do PMDB, mesmo concordando não se sentir confortável

Gervásio trata como 'especulação' saída do PMDB, mesmo concordando não se sentir confortável

Neste sábado (30), por telefone, o deputado estadual Gervásio Maia, próximo presidente da Assembleia Legislativa, voltou a comentar sobre sua ausência durante a visita do presidente nacional Michel Temer - em campanha pela recondução - a sede do PMDB Estado ontem. Reafirmou: "não me sentiria confortável".

Desde antes da campanha de 2014 que o deputado Gervásio Maia vem sofrendo um processo de retaliação dentro do partido, inclusive com diretórios municipais tradicionais sendo retirados do seu partido, a exemplo do que ocorreu com o de São Bento. "Prefiro não comentar mais sobre esse assunto; já estamos superando", ressaltou.

"Mas afora isso, tivemos outros problemas internos que não valem mais a pena comentar", ressaltou ele ao lembrar, por exemplo, um acordo descumprido para assumir o Diretório do PMDB de João Pessoa. Gervásio Maia preferiu também não comentar mais sobre o tema.

Mais diante de tudo isso, ainda há clima para permanecer no PMDB, partido que não teria hoje mais espaço? Quis saber a reportagem do Paraíba.com.br. Ele assim respondeu:

- Na verdade, hoje eu não tenho clima de conviver dentro do meu partido. Porém, não poderei tomar qualquer atitude contrária aos meus princípios, ponderou ao lembrar que "o PMDB faz parte da história política de nossa família, o PMDB do ex-governador João Agripino, meu avô; o PMDB de Gervásio Maia, meu pai".

Por ora, o que se tem, apesar das perseguições internas que vem sofrendo, é que uma possível saída do partido para outra agremiação "não passa de especulação", sustentou o deputado Gervásio Maia Filho.

 

 

 

 


Marcone Ferreira