Gervásio desdenha do potencial de Lucélio para disputar Senado e coloca PT contra a parede

Gervásio desdenha do potencial de Lucélio para disputar Senado e coloca PT contra a parede

O clima entre o PMDB e o PT continua tenso. Após os rumores da suposta desistência da pré-candidatura de Veneziano Vital do Rêgo ao governo do estado, a composição da chapa proporcional voltou a estremecer a relação entre peemedebistas e petistas.

O deputado Gervásio Filho (PMDB) partiu para o ataque e cobrou do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), e do pré-candidato a senador, Lucélio Cartaxo  (PT), reciprocidade ao ameaçar não contribuir com a campanha do ex-superintendente da CBTU na disputa majoritária. “Lucélio é desconhecido fora de João Pessoa e é importante que a proporcional esteja bem com ele para apresentá-lo no interior, pois em João Pessoa a coisa não está funcionando”, disparou.

Gervásio Filho acusou um auxiliar da gestão petista em João Pessoa de trabalhar em prol da candidatura de Cássio Cunha Lima (PSDB) ao governo do estado e de candidatos da base tucana na disputa proporcional. “Eu disse isso a Lucélio e recebi o silêncio como resposta”.

Ao confirmar a insatisfação dos peemedebistas com a decisão do PT em não se coligar com o PMDB na proporcional, Gervásio Filho foi direto. “Tem que se fazer a coisa bem feita, dentro de um projeto de reciprocidade, não uma aliança na base do faz de conta. Eu não admito entrar numa aliança para começar errado. Gostaria que todos envolvidos no processo se sentissem entusiasmados. Esse tipo de aliança proposto pelo PT é extremamente desconfortável”.

Questionado ainda sobre o provável número de deputados eleitos pelo PMDB nas próximas eleições, o parlamentar fez as contas. “Temos a perspectiva do elegermos quatro. O PT isoladamente dois ou 3, já o PSC três. Então a coligação PMDB/PT/PSC poderia eleger 10 deputados”.