Gerente de restaurante é preso por injúria racial ao dar bananas a entregadores negros

Gerente de restaurante é preso por injúria racial ao dar bananas a entregadores negros

O gerente do restaurante Garota da Tijuca, na Zona Norte do Rio, foi preso em flagrante por injúria racial, na sexta-feira (20). Ascendino Correa Leal teria oferecido bananas a três entregadores de bebidas negros como "homenagem" ao feriado da Consciência Negra. As vítimas acionaram a polícia e o gerente foi levado para a 19ª DP (Tijuca).

Leonardo Valentim, motorista do caminhão que entregava bebida no bar, contou que ele e os dois entregadores estavam fazendo uma entrega no estabelecimento. "Ele foi em cada um de nós e ofereceu as bananas e disse que era em homenagem ao Dia da Consciência Negra. E ainda completou que ‘é uma para cada um que vocês, que são todos da mesma raça", disse Leonardo.

Segundo o delegado-titular da unidade, os depoimentos apontam que Ascendino acreditou estar fazendo uma brincadeira. "De mau gosto", acrescentou Celso Gustavo Castello Ribeiro. William Dias Delfim, outra vítima, afirmou em depoimento que o gerente tentou desfazer o constrangimento e entrou no restaurante rindo. No entanto, Leonardo teria discutido com o gerente pelo ocorrido e chamado a Polícia Militar.

Ascendino pagou fiança de R$ 800 e foi liberado no mesmo dia. Ele pode pegar de um a três anos de prisão e mais multa. O G1 procurou o gerente no Bar Garota da Tijuca e foi informado que ele está licenciado desde o episódio. O dono do estabelecimento estaria viajando. No registro de ocorrência, os dois entregadores afirmaram que não conheciam o gerente.

Leonardo afirma que relembrar o caso faz mal a ele e que chegou a pensar em agredir o homem, mas pensou melhor e viu que isso iria transformar o autor em vítima.

"A gente vê isso acontecendo pela TV, com jogadores de futebol, e até com artistas, como a Taís Araújo, e não imagina que uma coisa dessas vai acontecer com a gente", afirma Leonardo.

 

 

 

G1