Ganhador da Mega-Sena pode ter sido envenenado em Limeira, diz família

Ganhador da Mega-Sena pode ter sido envenenado em Limeira, diz família

O autônomo Arlei Rosa Silva, de 53 anos, ganhador da Mega-Sena que foi encontrado morto na quarta-feira (17), em uma estrada vicinal de Limeira (SP), pode ter sido envenenado, segundo a família. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) apura o caso como homicídio e confirmou aoG1 na manhã desta sexta-feira (19) que há a suspeita de morte por envenenamento.

Silva era um dos ganhadores do prêmio de R$ 16 milhões sorteado em maio de 2007 na Mega-Sena e estava desaparecido desde segunda-feira (15).

A vítima foi localizada por moradores do bairro Pinhal na estrada vicinal que fica às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), entre Limeira e Mogi Mirim (SP). Uma familiar de Silva, que pediu para não ter o nome divulgado, disse que os possíveis sinais de violência no pescoço da vítima foram descartados pelo exame do Instituto Médico Legal (IML).

Segundo a DIG, o corpo também não apresentava perfurações de bala, cortes feitos por faca ou qualquer outro tipo de hematoma que indicasse agressão física. Apesar de confirmar a suspeita de envenenamento, a polícia não deu mais detalhes sobre essa linha de investigação.

Já a parente do autônomo disse acreditar que o homem foi asfixiado por alguém que o fez cheirar algum tipo de produto químico. "Porque o rosto dele estava muito preto", contou. "Coletaram sangue dele para fazer a perícia e o resultado deve sair entre 30 dias e seis meses", completou.

'Pessoa boa'
De acordo com a familiar, Silva estava separado da esposa há um ano e morava com mais dois amigos no bairro Santana. "Mas eles estavam se reconciliando", adiantou. Ela revelou ainda que o homem era "uma pessoa boa, legal e que tinha muitos amigos". "Ele tinha um coração que não era dele. Ele tirava dele para dar a outra pessoa."

Arlei Rosa Silva vivia atualmente do aluguel de duas casas que ele tinha em Limeira. Sobre a Mega-Sena, a familiar da vítima voltou a afirmar que a morte não tem ligação com o prêmio sorteado há quase nove anos e que prefere aguardar as investigações da polícia. "Já faz muito tempo e ele nem foi roubado. Foi homicídio mesmo", frisou.

Investigação
A DIG informou que pelo menos quatro pessoas já foram ouvidas sobre o crime e mais uma será interrogada na tarde desta sexta-feira. São testemunhas que viram Silva na noite anterior ao desaparecimento dele ou que tiveram contato com o homem horas antes disso.

Enterro
O corpo de Arlei Rosa Silva foi enterrado na manhã de quinta-feira (18), no Cemitério Parque de Limeira e não houve velório, segundo a parente. A despedida contou com a presença de familiares e alguns amigos que ficaram sabendo o horário do enterro, já que a família optou por não avisar ninguém. "Foram cinco minutos de oração e só."

2º ganhador morto
Em novembro de 2008, outro participante do mesmo bolão da loteria que Silva participou, Altair Aparecido dos Santos, de 43 anos, foi morto a tiros quando saía de uma chácara na região do Jardim do Lago, também em Limeira. No entanto, a polícia descartou a possibilidade de ligação entre os dois casos.

 

 

 

G1