Funcionário denuncia precariedade, atraso salarial e desrespeito no SAMU Regional de Piancó

Funcionário denuncia precariedade, atraso salarial e desrespeito no SAMU Regional de Piancó

A situação no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU da cidade de Piancó-Pb chegou a um nível que levou um dos trabalhadores a tornar pública a situação de descaso, desrespeito, descumprimento de direitos e atraso salarial. O funcionário público Maézio Lucena relatou que o serviço do SAMU está sem estrutura, mesmo recebendo recursos do Governo Federal.

De acordo com Maézio, o prefeito da cidade de Piancó, Sales Lima – DEM, está precarizando o serviço a começar pela sede do SAMU que saiu do antigo local de funcionamento para um sem condições estruturais, além do local inadequado, foi instalado câmeras que tiram a privacidade, pois foram instaladas no repouso e no vestiário dos funcionários públicos.

A falta de fardamentos e de Equipamentos de Proteção Individual – EPI para os trabalhadores, ausência de manutenção em ambulâncias, não pagamento de terço de férias, não pagamento de adicional noturno, atrasos nos salários pagos depois da primeira quinzena do mês posterior ao trabalhado, descontos de empréstimos consignados e sindical na denominada “gratificação natalina” de funcionários. Outra queixa é que os salários de 2012 e 2013 não forram pagos.

Os funcionários do SAMU reivindicam ainda aumento salarial que não foi dado em 2013 e em 2014 que não foi colocado no orçamento. A  insalubridade e o adicional noturno também não estão sendo pagos aos funcionários do órgão.

O SAMU regional de Pianco não funciona adequadamente mesmo tendo na sua composição 3 ambulâncias de suporte básico, 2 de suporte avançado e 2 motolâncias. Maézio denuncia que mesmo tendo 2 ambulâncias de suporte avançado apenas uma funciona, mas a Prefeitura Municipal de Piancó recebe como se as duas funcionassem. O mesmo fato acontece com a questão das motolâncias onde funciona apenas uma, mas se recebe recursos pelas duas.

O Sindicato dos Servidores da Saúde está oficializando ato de paralização com indicativo de greve para o dia 20 de janeiro de 2014, tendo em vista as reivindicações dos funcionários: Pagamentos de salários dentro do mês trabalhado; Pagamento de gratificações de insalubridade e adicional noturno; diárias indenizatórias; Aumento salarial de 2014; Melhores condições de trabalho, manutenção dos veículos e dos alojamentos; Pagamentos de dezembros de 2012 e 2013, e terço de férias, além de mudanças no órgão que funciona de forma precária.

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com