Fulgêncio fala em dificuldades, mas não descarta uma composição com setores do PSDB

Fulgêncio fala em dificuldades, mas não descarta uma composição com setores do PSDB

Apesar das dificuldades de uma composição com o PSDB de João Pessoa, o secretário de Articulação Política do Município, Adalberto Fulgêncio, não descartou nesta terça-feira (5), durante entrevista na TV Arapuan – programa Rede Verdade -, a união com os tucanos. A versão: a bancada integra a base aliada do governo Luciano Cartaxo (PSD) no Legislativo da Capital.

“Dificuldade existe, como todo mundo sabe. A começar da pretensão do PSDB lançar candidatura própria. No entanto, o partido já integrar a base de sustentação do governo municipal e vamos ver como vamos conduzir os entendimentos”, observou Fulgêncio.

Sem citar as siglas, Fulgêncio enfatizou que cinco partidos integram o bloco do governo Luciano Cartaxo, “inclusive parlamentares do PSDB que apóiam abertamente as ações da gestão de Cartaxo”, afirmou. “Mas só pretendemos discutir esse assunto em julho, quando será dada a largada para a campanha municipal deste ano”.

Administração – O secretário comentou também os projetos desenvolvidos pela Prefeitura na gestão do prefeito Luciano Cartaxo, “que mostrou capacidade administrativa no ano de crise; enfrentou criticas por causa dos gastos, mas ainda assim chegou ao final do ano passado com todos os compromissos quites, principalmente com a folha de pessoal”.

“É bom lembrar que tudo isso sem aumentar impostos”, fustigou ao enfatizar os reajustes do governo do Estado em diversos tributos, que atingem diretamente o bolso do contribuinte. Ao contrário dos que afirmam os adversários da campanha deste ano, Fulgêncio falou de várias realizações da atual gestão.

Fulgêncio destacou: “Por exemplo, preocupado para que não haja mais nenhum óbito. Por isso, as áreas de riscos que existiam em João Pessoa estão acabando. O prefeito Luciano Cartaxo já assinou a ordem de serviço nas comunidades da Saturnino de Brito e Bairro São José. Isso já havia ocorrido com o Vale do Timbó”. 

 

 

 


Marcone Ferreira