Frei Anastácio condiciona a apoio a RC a uma conversa com as bases; quero saber a opinião dos eleitores

Frei Anastácio condiciona a apoio a RC a uma conversa com as bases; quero saber a opinião dos eleitores

O deputado estadual pelo PT, Frei Anastácio disse que não vê com naturalidade seu apoio a bancada de apoio ao governador Ricardo Coutinho, como afirmou várias lideranças do seu partido.

O parlamentar defende e acredita que deve haver uma conversa com as bases para saber a opinião das lideranças e dos eleitores sobre o seu apoio a bancada do governador ‘ e é isso que estou fazendo, estou caminhando, visitando as bases e já estive no Alto Sertão e no Vale do Piancó como também aqui em João Pessoa para saber o que as pessoas que votaram comigo pensam de tudo isso”, explicou.

Frei Anastácio disse que essa questão de já existir um “ pacote já feito e decidido” desde o primeiro e segundo turnos foi uma coisa e agora a situação é outra: a participação do PT no Governo ou não e que a bancada tem que pensar no que é melhor para PT e para a Paraíba.

Ele disse também que pretende ouvir a Assembleia Legislativa ‘ para que a gente possa ter uma composição da Assembleia para saber como vai ficar a Casa em relação ao Governo. Não estou dizendo que sou contra ou a favor, mas acredito que temos que ter uma mesa eclética, aonde se crie as condições reais para o bom funcionamento da casa e assim correspondermos a confiança dos eleitores que nos mandaram para lá”, destacou.

Sobre a mudança da presidência da Assembleia Legislativa, Frei Anastácio disse que a questão não é de pessoa, mas de ideologia, de comportamento. Ele disse quem não tem nenhuma rejeição ao deputado Ricardo Marcelo e que ele fez uma boa gestão, mas que precisa melhorar e que isso depende também do Governo do Estado.

Sobre o fato de não ter ido ao encontro dos deputados com o governador Ricardo Coutinho, Anastácio justificou que não vive de almoço ou de jantar, mas gosta mesmo de trabalhar. O parlamentar disse que conversou muito Ricardo Coutinho no segundo turno e mostrou as razões para votar e pedir voto para ele nele e que a razão primordial era a reeleição da presidente Dilma Roussef “ e fiz campanha sem pedir nada em troca, sem benesses”, finalizou.

 


Paulo Cosme\Anderson Soares