Ford anuncia programa de demissão voluntária na fábrica de Camaçari, BA

Ford anuncia programa de demissão voluntária na fábrica de Camaçari, BA

A montadora Ford anunciou, nesta segunda-feira (14), um Programa de Demissão Voluntária (PDV) para os trabalhadores da fábrica de Camaçari, região metropolitana de Salvador. De acordo com a empresa, a medida foi tomada com objetivo de ajustar a produção à demanda de mercado.

Complexo da Ford em Camaçari, na Bahia (Foto: Divulgação)

Ford informou que o programa vale para o período de 4 a 15 de janeiro de 2016. O objetivo principal, informou a empresa, é adequar o excedente da força de trabalho ocasionado pelo encerramento do turno da noite a partir do mês de março de 2016.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari estima que cerca de dois mil postos de trabalho sejam afetados com a suspensão do terceiro turno, que representa o período de 22h até as 6h30, num regime de 40 horas semanais.

"O sindicato está negociando a garantia dos dois mil postos a partir de março. Estamos tendo reuniões constantes para garantir os empregos", disse Júlio Bonfim, presidente da entidade. "Eles querem suspender o terceiro turno e demitir dois mil da fábrica como um todo, remanejando os demais. A gente não aceita demissões", acrescentou. Julio Bonfim afirmou que o sindicato tenta negociar com a empresa as férias coletivas em fevereiro e a suspensão temporária do contrato de trabalho pelo regime layoff.

A fábrica de Camaçari produz os veículos Ford Ka e Ka+ (sedã), e também o EcoSport. Além disso, a unidade fabrica ainda o motor 1.0 que abastece o Ford Ka. A Ford já tinha dado uma férias coletivas no meio do ano, que durou 10 dias, entre 25 de maio e 3 de junho.

Trabalhadores fizeram protesto em outubro

 

Empregos instáveis
Em outubro deste ano, um protesto reuniu milhares de trabalhadores por conta deameaças de demissõesO governador Rui Costa informou que iria negociar com a empresa. Na época, presidente do sindicato, Júlio Bonfim, disse que a Ford anunciou 192 demissões em produtoras de auto-peças, 500 do setor operacional e 700 do setor de logística. A empresa negou demissões, mas afirmou estar em processo de adequação.
 
A Ford suspendeu temporariamente a produção da fábrica de motores de Camaçari de 8 a 16 de outubro, com a justificativa de "ajustar os níveis de produção à demanda de mercado". A empresa já havia anunciado férias coletivas a empregados produtivos da montadora de 14 de setembro a 2 de outubro. A decisão afetou 6.800 funcionários, 3.500 deles contratados e os demais terceirizados.

 

Entre 12 e 14 de agosto, cerca de 3.500 trabalhadores do setor operacional da montadora já tinham recebido folga. A Ford também já tinha dado uma férias coletivas no meio do ano, que durou 10 dias, entre 25 de maio e 3 de junho.

 

Veja nota emitida pela Ford sobre o PDV:
 
"A Ford informa que, devido à necessidade de ajustar a produção à demanda de mercado, abrirá um Programa de Demissão Voluntária (PDV) para os empregados produtivos da fábrica de Camaçari (Bahia) no período de 4 a 15 de Janeiro de 2016. Esta medida tem como objetivo adequar o excedente da força de trabalho decorrente do encerramento do turno da noite, desta unidade, a partir de Março de 2016".
 
 

 

G1