Forças de Segurança da Paraíba apreendem mais de 1.900 armas de fogo no 1º semestre de 2015

Forças de Segurança da Paraíba apreendem mais de 1.900 armas de fogo no 1º semestre de 2015

As Polícias Civil e Militar da Paraíba apreenderam 1.913 armas de fogo nos seis primeiros meses deste ano. De acordo com relatório do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds), o número é 31% maior do que a quantidade de armas de fogo retiradas de circulação no mesmo período do ano passado, ou seja, 1.464 unidades.

Ainda segundo balanço do Nace, por meio de ações ostensivas e de repressão qualificada, realizadas por policiais militares e investigadores da Polícia Civil, a Paraíba teve uma média de 10,5 armas de fogo apreendidas por dia, de janeiro a junho de 2015. Desse material retirado das ruas, 49% foram revólveres, 40% espingardas, 7% de pistolas e 4% são de outros tipos de armamento.

Para o secretário da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, o aumento na apreensão de armas é resultado dos esforços empreendidos pelas forças de segurança. “As Polícias Militar e Civil têm focado na remoção dessas armas, usadas tanto em crimes contra a vida como naqueles contra o patrimônio. Isso significa que a polícia está retirando poder de fogo da mão de criminosos. Nesse sentido, novas ações específicas irão acontecer este ano”, frisou, acrescentando que, por meio da Lei 9.708/2012, o Governo do Estado bonifica os policiais, com valores que vão de R$ 300 a R$ 1.500 por arma apreendida.

Cláudio Lima ainda lembrou que, além das apreensões diárias, trabalhos maiores ainda aconteceram em várias regiões do Estado, como a Operação Ciclone, em fevereiro deste ano, no município de Princesa Isabel; a Cidade Sitiada, de repressão ao tráfico de armas de fogo, que aconteceu em março, em João Pessoa; Impacto, da Polícia Militar, que em 26 de junho apreendeu 39 espingardas e um revólver calibre 22, em Queimadas; e uma ação realizada pela Delegacia de Roubos e Furtos da Capital, responsável pela apreensão de armas que seriam utilizadas por um grupo para assaltar um banco, incluindo uma arma longa de calibre restrito.

Aumento consecutivo de apreensões – Também de acordo com o Nace, de 2011 a 2014, as forças de segurança apreenderam 10.641 armas de fogo em diversas cidades paraibanas. Se for comparado 2010 com relação a 2014, o aumento na quantidade de armas retiradas de circulação foi de 73%. Esse percentual equivale a um crescimento de 1.709 para 2.952 revólveres, espingardas e pistolas que deixaram de estar nas ruas por conta do trabalho da Polícia.

Após as apreensões, as armas de fogo são encaminhadas ao Instituto de Polícia Científica (IPC) para exames e remetidas ao Poder Judiciário, de onde seguem para o Exército Brasileiro, a fim de serem destruídas.

 

 

 

Secom-PB