Fla x Flu: Por que ainda não se admite o acesso tecnológico no futebol?

Fla x Flu: Por que ainda não se admite o acesso tecnológico no futebol?

Até quando o futebol ficará exposto a dúvidas e polêmicas em decorrência de uma inexplicável recalcitrância de seus dirigentes em admitirem a conferência posterior em vídeo, quanto a lances capitais de partidas???

O emocionante Fla-Flu de ontem à noite é só mais um capitulo de uma sequência infindável de confrontos futebolísticos, que entrarão para a história muito mais pelas evitáveis confusões promovidas pela arbitragem, do que pelo brilho e pela garra dos atletas das duas equipes. 

E por que??? Por conta de uma inexplicável recalcitrância dos membros da International Board em admitir a conferência em vídeo no futebol. Diversos esportes, tais quais o tênis e o vôlei, visando minimizar os erros de arbitragem e assim propiciar a produção de resultados justos e coerentes, já se renderam à adoção do suporte tecnológico. 

No futebol ainda subsiste a exposição pessoal dos árbitros a julgamentos em praça pública, em decorrência de erros defensáveis, absolutamente explicáveis e justificáveis, se levarmos em consideração que lhes é imposto a definição do lance em frações de segundo, sem possibilidade de se socorrer a qualquer tipo de ajuda ou suporte externos.

Pior, a repulsa ao auxílio tecnológico externo é de tal monta, que se ficar comprovado que a interferência externa ocorreu, a consequência legal é a anulação da partida.

No jogo de ontem, não há como se negar que um árbitro que anule um gol, aceitando a marcação de seu assistente, seja pressionado pelos autores deste e volte atrás, validando o tento e, posteriormente, após minutos de silenciosa inércia, pressionado pelos membros das duas equipes, o anule novamente,  não tenha sido informado por terceiros, estranhos à partida, que tiveram acesso livre ao teor do vídeo, acerca da correta marcação a ser aplicada. 

Assim, fica a pergunta: Por que não se admitir o acesso livre .dos árbitros ao vídeo, visando viabilizar a tomada de melhores e mais acertadas decisões em lances capitais??? 

Enquanto isso não acontecer, infelizmente, a única certeza é que polêmicas  e dúvidas continuarão a habitar os estádios de futebol e os árbitros continuarão reféns de sentimentos e impressões para definirem lances que podem vir a definir jogos e campeonatos. 

Quanto ao jogo de ontem, este pode não ter se findado no apito final, se o Flu conseguir comprovar no Tribunal que o trio de arbitragem foi municiado de informações externas, para optar pela anulação definitiva do derradeiro gol da partida. 

 

 

Blog Esporte Legal