Firmino sai do banco para decidir vitória do Brasil sobre o Chile em amistoso na Inglaterra

Firmino sai do banco para decidir vitória do Brasil sobre o Chile em amistoso na Inglaterra

Roberto Firmino parece ter consolidado uma vaga na seleção brasileira. O atacante teve pouco mais de 30 minutos em campo no amistoso contra o Chile, no estádio Emirates, na tarde deste domingo, em Londres, e garantiu a vitória brasileira por 1 a 0 ao marcar um bonito gol com direito a drible no goleiro Claudio Bravo antes da finalização. A entrada do jogador do Hoffeinheim-ALE  foi um dos testes realizados por Dunga de olho na Copa América, em junho. E valeu demais a experiência.

A equipe de Dunga jogou com seis alterações em relação ao time que bateu a França por 3 a 1 no meio de semana. O meia-campo todo era diferente com a formação Souza, Fernandinho, Douglas Costa e Phillipe Coutinho. Luiz Adriano foi a opção como parceiro de Neymar sendo substituído por Firmino no decorrer do jogo. Já Robinho também teve chance ao jogar os 30 minutos finais da partida na vaga de Coutinho.

Se foi teste para o Brasil, o Chile levou a partida mais a sério. Não poupou titulares e aplicou grande maração em campo. Alexis Sanchéz teve bela atuação, ganhando vários combates individuais. Pelo lado do Brasil, destaques para Firmino, claro, Danilo e Miranda. Neymar sofreu com a violência chilena e foi discreto.  

Fases do jogo

Brasil e Chile se comportaram de forma muito parecida em campo. E a marcação pressão bem feita foi o ponto forte dos times. Os goleiros Jefferson e Bravo tiveram grandes participações com os "chutões" ao campo de ataque. 

As jogadas nascidas no campo de defesa eram raras. O volante Souza pouco se apresentou para sair com a bola, e a marcação chilena também estava bem encaixada pelos lados do campo. Culpar a falta de entrosamento também não é o caso. Foi por ela, por exemplo, que Dunga apostou na dupla do Shakhtar Donetsk-UCR, Douglas Costa e Luiz Adriano.
 
No duelo de muito contato físico entre os times, como nas oitavas de final da Copa do Mundo, a velocidade de Alexis Sanchéz fazia a diferença. O atacante chileno fechava a linha defensiva pela direita e aparecia dos dois lados do campo quando a equipe tinha a bola. O jogador do Arsenal prevaleceu em alguns confrontos individuais contra os brasileiros, mas não teve as jogadas criadas pelo extremo transformadas em boas ocasiões de gol.
 
No Brasil, Neymar sofria com forte marcação e revezamento de faltas. Do zagueiro chileno Medel levou um pisão na panturrilha direita. O camisa 10 terminou a primeira etapa sem finalizações. A única boa chance foi um chute de Douglas Costa para fora após bom passe de Marcelo.
 
Os dois times voltaram para o segundo tempo com a mesma formação, mas com maior preocupação na criação de jogadas. Phillipe Coutinho, então sumido, colou em Neymar, e com o auxílio de Marcelo, deixou o lado esquerdo brasileiro forte ofensivamente.
 
Só que o meia do Liverpool teve pouco mais de 10 minutos em campo, e foi substituído por Robinho. Por sinal, Dunga ainda colocou praticamente no mesmo momento Roberto Firmino, William e Elias.

Com as alterações, o Brasil ganhou muita mobilidade com Robinho pela esquerda, jogando exatamente na faixa ocupada por Coutinho, e Firmino no meio. Cansado, o time chileno sofreu demais para seguir com a forte marcação e Firmino aproveitou aparecendo livre no meio da zaga para garantir a vitória aos 27 minutos após bom lançamento de Danilo. O teste de Dunga terminou sendo proveitoso e vitorioso. 
 
O melhor: Danilo. O lateral ganhou bolas aéreas, jogou próximo a Douglas Costa no primeiro tempo e foi bem na marcação. Ainda foi o responsável pela assistência a Roberto Firmino no gol do Brasil. 
 
O pior: Souza. Cadê? O volante funcionou bem ajudando a encaixar a marcação pressão,mas quando o Brasil tinha a bola ficou preso entre os meias adversários e não se apresentou como solução para a saída de jogo. Elias fez isso quando o substituiu.. 
 
Para lembrar:
 
Maioria chilena. Eram vários chilenos presentes do Emirates. Além disso, a maioria da torcida do Arsenal que foi ao estádio incentivou o time por conta do ídolo do clube atualmente, o atacante Alexis Sanchéz. O Brasil parecia jogar no campo adversário.
 
Pisão. Caído no chão, Neymar levou um pisão de Millar na panturrilha direita. O lance não foi visto pelo árbitro. 
 
Vaiado. William foi muito vaiado ao entrar em campo. A cada vez que tocava na bola também era perseguido pela torcida. O motivo é o fato do jogador atuar pelo Chelsea, o rival do Arsenal. O mesmo aconteceu com Fillipe Luís pouco depois.
 
FICHA TÉCNICA
CHILE 0 X 1  BRASIL
 
Data: 29 de março de 2015, domingo
Local: estádio Emirates, em Londres, na Inglaterra
Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)
Cartão amarelo: Albornoz (CHI); Thiago Silva, Neymar (BRA)
Gols: Roberto Firmino, aos 27 min do 2º T.
 
CHILE: Bravo; Medel, Jara, Albornoz; Isla, Millar (Fernández), Aranguiz, Mena (González), Vidal (Vargas) e Alexis Sanchéz; Pablo Hernandéz.
Técnico: Jorge Sampaoli
 
BRASIL: Jefferson; Danilo, Thiago Silva, Miranda, Marcelo (Fillipe Luís); Souza (Elias), Fernandinho, Douglas Costa (William), Phillipe Coutinho (Robinho); Neymar e Luiz Adriano (Roberto Firmino).
Técnico: Dunga
 
 
 
 

Uol