Filiados do PMDB batem boca no partido por causa da juventude

Filiados do PMDB batem boca no partido por causa da juventude

O Diretório Estadual do PMDB realizou uma eleição sem disputa nesta sexta-feira (12), mas o que deveria ser tranqüilo ficou tenso na sede do partido, em João Pessoa, por causa da disputa pelo comando da juventude da legenda. Alas divergentes acusam uma à outra de não ter autoridade para comandar uma comissão provisória e protagonizaram um longo bate boca no início da tarde.

A eleição foi para por a deputada estadual Olenka Maranhão como 2ª tesoureira e o deputado Trócoli Júnior como vogal do Diretório Estadual, subistituindo membros que deixaram o partido. Tudo seguia tranqüilo até André Amaral chegar ao local acusando Diêgo Amaranto de ter ludibriado a disputa e assim ter conseguido o comando da Comissão Provisória da Juventude do PMDB, daí o bate boca foi generalizado com direto a dedos e mãos levantadas, além das vozes alteradas.

Entenda o caso:

Diego Amaranto diz está à frente da Comissão Provisória e que foi autorizado pelo presidente estadual do partido, José Maranhão, para formatar uma eleição como presidente temporário que tem até 180 dias para convocar o pleito interno. Este documento assinado por Maranhão foi registrado em cartório.

André Amaral diz ser o real presidente da Comissão Provisória e que sua autorização foi dada pelo comando nacional da Juventude do PMDB, por isso solicita ao Diretório Estadual o seu reconhecimento. Ele classifica como “golpe” a Comissão instituída por José Maranhão.





Écliton Monteiro – MaisPB