Fifa estuda adiar eleição presidencial após suspensão de dirigentes

Fifa estuda adiar eleição presidencial após suspensão de dirigentes

A Fifa estuda adiar a eleição presidencial marcada para dia 26 de fevereiro de 2016. O motivo é a suspensão de dirigentes importantes para o pleito, como Joseph Blatter e Michel Platini. Esse assunto deverá discutido em reunião extraordinária do comitê executivo no dia 20 de outubro, conforme informou a agência Reuters.

A ideia de mudar a data do pleito tem sido pressionada por federações com força na Fifa, entre elas as federações Inglesa,Alemã e Belga.

Blatter, Platini e Jerome Valcke foram suspensos da Fifa por 90 dias. O retorno deles à entidade acontecerá no começo de janeiro, próximo ao pleito. No entanto, a suspensão dos três pode ser prorrogada por mais 45 dias, dependendo da investigação interna.

O presidente-executivo da Federação Escocesa de Futebol, Stewart Regan, é contra o adiamento, mas entende que será necessário atrasar a data da eleição caso a suspensão seja prorrogada por mais 45 dias.

"Eu entendo que o quanto antes, melhor. Mas se forem adicionados os 45 dias à suspensão de 90 dias, então creio que a lógica seria adiar para que todos candidatos elegíveis tenham tempo para preparar suas campanhas sem comprometer a investigação".

O prazo de inscrições para o cargo na Fifa termina em 26 de outubro. Platini é candidato à sucessão de Blatter e temapoio incondicional da Uefa, que reúne as federações europeias.

"Eu sou um dos membros que pedem reunião de emergência do Conselho Executivo da Fifa. Não tenho nenhuma informação sobre o adiamento da eleição, mas talvez discutiremos isso lá", disse o belga Michel D´Hooghe, presidente da Federação Belga e um dos mais antigos integrantes do Conselho da Fifa.

Suspenso, Platini pode ter seu nome riscado da eleição. O comitê de ética analisará se confirma candidatura do francês.

Quem ficará fora da eleição é o bilionário coreano Chung Mong Joon, banido da Fifa, na quinta-feira, por seis anos. O ex-vice-presidente da Fifa pretendia concorrer na próxima eleição, mas foi excluído de qualquer atividade ligada ao futebol após suposto esquema de compras de votos para as escolhas das Copas de 2018 e 2022. O coreano nega envolvimento e alega que há um complô na Fifa para derrubá-lo.

A suspensão representa enorme prejuízo à candidatura de Michel Platini para a presidência da Fifa. O mandatário da Uefa era tratado como grande favorito ao trono da Fifa. Mas a descoberta de pagamento feito por Blatter a Platini (cerca de R$ 8 milhões) causou estrago na campanha.

Platini admitiu ter recebido o dinheiro, mas justifica que o serviço era lícito e realizado para o presidente da Fifa de 1999 a 2002.

Uma reunião das 54 federações que compõem a Uefa deverá ocorrer na próxima quinta-feira para discutir a crise atual na Fifa.

 

 

180 Graus