FHC afirma que Dilma deve admitir erros ou renunciar

FHC afirma que Dilma deve admitir erros ou renunciar

Um dia após as manifestações de rua contra o governo federal em todos os estados e no Distrito Federal, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nesta segunda-feira (17) que se a presidente Dilma Rousseff não for capaz de admitir erros ou renunciar, o país assistirá "à desarticulação crescente do governo e do Congresso".

No texto, divulgado na página pessoal de FHC no Facebook, o ex-presidente disse que as manifestações demonstram a "persistência do sentimento popular de que o governo, embora legal, é ilegítimo".

 

"A esta altura, os conchavos de cúpula só aumentam a reação popular negativa e não devolvem legitimidade ao governo, isto é, a aceitação de seu direito de mandar, de conduzir", escreveu.

Fernando Henrique afirmou que a renúncia seria um "gesto de grandeza" de Dilma. "Se a própria presidente não for capaz do gesto de grandeza (renúncia ou a voz franca de que errou, e sabe apontar os caminhos da recuperação nacional), assistiremos à desarticulação crescente do governo e do Congresso, a golpes de Lava Jato", complementou.

FHC também afirma no texto que falta ao governo "a base moral" que, na opinião do tucano, foi "corroída pelas falcatruas do lulopetismo". Na opinião do tucano, mesmo que Dilma possa se "salvaguardar" pessoalmente, seu governo sofre "contaminação dos malfeitos de seu patrono" e, com isso, na interpretação do ex-presidente, ela perde condições de governar.

Ao final do texto, FHC afirma que, caso Dilma não renuncie ou admita seus erros, em algum momento, um "líder com força moral irá dizer, como o fez Ulysses Guimarães, com a Constituição na mão, ao Collor: 'você pensa que é presidente, mas já não é mais'".

 

 

G1