Fenômeno de 16 anos faz história para o Brasil com a prata no tiro com arco

Fenômeno de 16 anos faz história para o Brasil com a prata no tiro com arco

Quando recebeu um folheto da Confederação Brasileira de Tiro com Arco, na escola em Maricá, no Rio de Janeiro, Marcus Vinícius D'Almeida não fazia ideia do que o futuro lhe reservava. Apenas quatro anos após começar na modalidade, o brasileiro de 16 anos conquistou nesta terça-feira o seu resultado mais expressivo até agora. Considerado um fenômeno do tiro com arco, Marcus chegou onde nenhum brasileiro tinha conseguido. Em Nanquim, nas Olimpíadas da Juventude, o porta-bandeira do Brasil disputou o ouro contra o sul-coreano Seok Woo Lee e apesar da derrota por 7 a 3 ( total 148 a 146), conquistou uma prata histórica para o país.

- Ele chegou perto da perfeição e não tive como acompanhar. Eu não perdi, ele ganhou. São 30 pontos em jogo a cada set, então, são 30 pontos que tenho que fazer. Foi isso que aprendi aqui. Vim do outro lado do mundo, busquei uma medalha olímpica, é difícil descrever. É uma realização para mim, para o meu esporte, e para o Brasil. Só tenho que agradecer. É o maior resultado da minha carreira. O trabalho que tenho feito é grande, e tenho parte de um sonho realizado. Agora, me falta 2016, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. O ouro não veio por pouco. Foi uma grande final olímpica - destacou.

Marcus Vinícius vem surpreendendo na modalidade. Ele é o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha em uma etapa da Copa do Mundo. Após quatro etapas do torneio em 2014, ele garantiu um lugar para a final final da disputa, o que o país nunca havia conseguido. Hoje, é o segundo no ranking da Copa do Mundo e o nono no ranking mundial da modalidade, com apenas 16 anos.O caminho até a prata histórica

Marcus Vinícius entrou nesta terça-feira como favorito diante do belga Rick Martens, pelas oitavas de final. Mesmo assim, teve uma disputa difícil, vencendo por 6 a 4. No duelo seguinte, o brasileiro teve pela frente o britânico Bradley Denny, e atropelou, triunfando por 6 a 0. Nas semifinais, o rival foi o indiano Atul Verma, e nova vitória brasileira, desta vez mais apertada, por 6 a 4.

Na final, Marcus Vinícius encarou o sul-coreano Seok Woo Lee, que varreu todos os rivais até a decisão. Sua vitória mais apertada foi por 6 a 2, nas quartas de final. Nas primeiras três flechas, o coreano abriu 2 a 0, com três dez, contra dois dez do brasileiro e um nove. Em seguida, novas três flechas certeiras do rival, contra um erro do brasileiro, e 4 a 0 no placar.

 

Na terceira rodada, cada um acertou três flechas perfeitas, fazendo 30 pontos. O placar foi para 5 a 1, com um ponto para cada. Na quarta, vitória do brasileiro, e 5 a 3 no marcador. Na quinta e última rodada, vitória do sul-coreano, por 7 a 3 e a medalha de ouro para Seok, com dez flechas perfeitas em 12 tentadas.

- Consegui manter um nível alto. Mantive o foco. A esperança da medalha de ouro me fez manter o foco. Tenho sempre a esperança de buscar no próximo set. Mas ele não deu chance. É a primeira vez que vejo ele competir, e ele foi muito bem - reconheceu Marcus, adulto na distância de 70m, mas que em Nanquim, por ser uma competição sub-18, competiu na distância de 60m, e precisou ajustar seus treinamentos.



 

globoesporte