Falta de espaço nas comissões na ALPB faz blocão da oposição rachar; líder tenta manter unidade

Falta de espaço nas comissões na ALPB faz blocão da oposição rachar; líder tenta manter unidade

O blocão da oposição rachou.  Três partidos estão insatisfeitos com os rumos que estão sendo tomados no grupo. PP, PRB e PSC deixaram a parceria com o PSDB. Segundo dirigentes das três legendas, o movimento é fruto de uma insatisfação pela centralização do poder na mão dos tucanos dentro do bloco.

Os representantes dos três partidos querem ter maior participação nas comissões da Casa, por isso deixaram o grupo, para provocar uma redistribuição das vagas da oposição. Atualmente o PSDB concentra grande parte das cadeiras ocupadas pela oposição nas comissões.

Segundo o líder da oposição na ALPB, Renato Gadelha (PSC), a insatisfação não significa que vá haver uma mudança de postura destes partidos com relação a serem de oposição. “Ninguém vai deixar a oposição. Estamos estudando qual a melhor opção, se mantermos o grupo coeso ou separarmos em dois grupos menores, o que é complicado, pois o grupo que sairia não teria liderança, representatividade na AL”, explicou Gadelha.

O PP já oficializou sua separação do grupo, mas o deputado já está negociando com Daniella Ribeiro (PP) para que eles voltem a compor com o blocão. “Estamos começando a conversar. Esta insatisfação é algo recete. Vamos tentar aglutinar a oposição e contornar este momento”, disse Gadelha.

Minoria - Ele ainda comentou que não estranha os resultados dos embates nas Comissões serem favoráveis ao Governo. “Por ser minoria nas comissões é normal que as decisões sejam tomadas em favor do governo. Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) são três da situação contra três da oposição, porém como a presidência é da deputada Estela Bezerra, quando há um empate, ela decide em favor do governo”, afirmou o deputado.

Entre os problemas enfrentados pela bancada também está o fato de que alguns partidos de oposição tem parlamentares na situação. “O PT tem Anastácio de um lado e Anísio do outro; o PSD com Manoel Ludgério na oposição e João Gonçalves com o governo; Daniella marcadamente oposicionista e Galego de Sousa no governo, assim como o PMDB que tem Trócolli e Raniery na oposição e Gervásio e Nabor na situação”, enumerou.

Gadelha pontuou que não há problemas com essa divisão lembrando que no caso dos vetos da Defensoria Pública, onde a votação ficou empatada em 17 a 17 e o veto foi mantido, dois deputados de oposição faltaram e a presença desses teria mudado o resultado.

 
 


João Thiago e Marília Domingues