Ex-governador declara sua oposição à criação do TCM: 'será que abir hospitais não é prioridade?'

Ex-governador declara sua oposição à criação do TCM: 'será que abir hospitais não é prioridade?'

O ex-governador Roberto Paulino (PMDB) também se posicionou contrário a criação, pelo menos por enquanto, do TCM (Tribunal de Contas dos Municípios) por parte do Governo do Estado. Para ele, há outras prioridades a serem discutidas e implantadas na Paraíba, a exemplo de mais unidades hospitalares que atendam a população carente.

 

Outros pontos que leva o vice-presidente estadual do PMDB a ser contra a criação do órgão, dizem respeito a crise financeira, moral e política vivida pelo País esse ano, onde os recursos a cada dia ficam mais difíceis de serem carreados, inclusive do Governo Federal.

Roberto Paulino disse, por exemplo, que nunca viu uma escassez de água tão grande no Estado, onde a assolação atinge os quatro cantos e o Governo da Paraíba insiste em causar mais despesas aos cofres públicos, sem apresentar um plano eficaz e contínuo de combate a seca. “Tenho 64 anos de idade e não me lembro de tanta agonia por água em meu estado”.

- Eu falo também por mim que sou guarabirense, pelos pais e pelas mães de famílias de minha Guarabira e do Brejo, que tanto necessitam de um hospital de emergência e trauma. Me refiro ao povo de Belém que teve uma unidade hospitalar fechada. Cito a cidade de Lagoa de Dentro onde querem fechar outro hospital. Será que tudo isso não é mais prioridade que o TCM? – perguntou.

Durante entrevista ao Hora da Notícia (GBA FM), o ex-governador Roberto Paulino chegou a elogiar as plenárias do Orçamento Democrático realizadas pelo Governo do Estado, mas, lembrou que o povo de Guarabira não escolheu a criação do TCM como prioridades e sim a construção de um hospital de trauma regional.

Para Paulino, a ideia de criação do TCM por parte do Governo do Estado não vai ter êxito, pois encontra resistência em vários segmentos da sociedade civil organizada.

 

 

Paraíba.com.br