Ex-desafeto, Luiz Couto antecipa voto em Vital Filho e revela não guardar rancor

Ex-desafeto, Luiz Couto antecipa voto em Vital Filho e revela não guardar rancor

O deputado federal Luiz Couto (PT) antecipou, na manhã desta quinta-feira, seu apoio à indicação do senador Vital do Rêgo para o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Em entrevista ao Portal MaisPB, Couto disse que é preciso superar as brigas com o senador do PMDB e que não guarda rancor. Em março de 2012, o petista criticou duramente Vitalzinho, a quem teria classificado como ‘bandido’.

O petista enfatizou que, hoje, Vital do Rêgo Filho deve ser tratado como aliado. Ainda em entrevista ao Portal MaisPB, Couto destacou a capacidade do senador do PMDB e desejou que ele faça um excelente trabalho como ministro do TCU. “É importante para a Paraíba ter um nome como o de Vital no Tribunal. Não tenho nada contra a indicação de Vital”, declarou Luiz Couto, em entrevista exclusiva ao Portal MaisPB.

O nome de Vital para ocupar o cargo de ministro do TCU já foi aprovado pelo Senado Federal e agora deve votado pela Câmara de Deputados. 

‘Bandido’

As dissidências entre Luiz Couto e Vital do Rêgo Filho são antigas. Em março de 2012, durante evento do PT, o parlamentar petista chamou o senador de ‘bandido’. Couto deu a entender, também, que Vitalzinho fazia uso de marketing pessoal para passar a imagem de que ‘tudo que acontece de bom na Paraíba é ele quem faz’.Antes de seu discurso contra Vitalzinho, Couto também teria feito críticas a Rui Falcão, presidente nacional do PT. Durante este mesmo evento, assessores de Couto foram acusados de agredir a imprensa.

Na época, em nota, o senador Vital do Rêgo Filho lamentou as declarações de Couto e disse que acreditava ter com o padre um relacionamento respeitoso.

Confira a nota: ‘O senador Vital do Rêgo lamenta as agressões verbais das quais foi vítima nesta manhã, reproduzidas pela imprensa. O senador sempre presumiu ter com o padre Luiz Couto o melhor e mais respeitoso relacionamento possível. Vitalzinho aprendeu, com o espírito cristão, a perdoar aqueles que o ofendem’.


Jãmarrí Nogueira - MaisPB