Estudante é detido na Central de Polícia tentando se passar por advogado

Estudante é detido na Central de Polícia tentando se passar por advogado

Policiais civis prenderam, na tarde desta sexta-feira (15), na Central de Polícia, em João Pessoa, o estudante do curso de Direito de uma faculdade particular da Capital, Leonardo Junior da Silva Souza, 30 anos , suspeito de exercício ilegal da profissão.  A descoberta que o estudante não era advogado aconteceu durante os procedimentos de segurança adotados na entrada do prédio.

Quando chegou à Central de Polícia, Leonardo Junior da Silva Souza não apresentou a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) alegando que tinha esquecido o documento, mas o levantamento realizado no sistema mostrou que ele não tinha o registro. Isto levantou a suspeita de que alguma coisa estava errada e Leonardo Junior foi encaminhado para a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). Na Delegacia foram solicitados os documentos de identificação pessoal do estudante e foi constatado que ele não concluiu ainda o curso. Leonardo está cursando o segundo período do curso de Direito.

A investigação também mostrou que Leonardo Junior trabalha em um escritório de advocacia localizado no centro de João Pessoa e que já prestou e presta assessoria jurídica a vários clientes. Três deles foram chamados na delegacia para esclarecer como aconteceram as contratações dos serviços prestados pelo estudante que se passava por advogado.

Leonardo Junior foi ouvido pelo delegado titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações, Lucas Sá, e vai responder na Justiça pela contravenção penal de exercício ilegal da profissão e pode receber uma pena de 15 dias a três meses de reclusão. Por causa do crime que cometeu, Leonardo Junior fica impedido de tomar posse em concursos públicos.   

“A DDF continuará verificando situações dessa natureza e encaminhando todos os suspeitos para a Justiça para que os responsáveis respondam na esfera criminal. Orientamos também que a população denuncie crimes como este por meio do Disque Denúncia 197 ou para o telefone da nossa delegacia, 3218-5333. Se preferir também pode vir a Central de Polícia 

 

 

 

Secom