Espanha registra primeiro caso de zika por transmissão sexual

Espanha registra primeiro caso de zika por transmissão sexual

Uma mulher foi infectada pelo zika vírus através do seu namorado, que tinha viajado recentemente para a América Latina, no primeiro caso de transmissão sexual do vírus naEspanha, informou nesta sexta-feira (1º) à AFP um porta-voz de Madri.

A mulher, residente da capital espanhola, não estava grávida quando ficou doente e não apresentou "complicações clínicas", indicou o porta-voz do Departamento de Saúde de Madri.

Seu namorado viajou para um país latino-americano entre abril e maio, e ao voltar foi diagnosticado com zika. Semanas depois, a mulher manifestou sintomas da doença.

A fonte não informou sobre as nacionalidades e as idades dos afetados.

Casos de transmissão do zika por contato sexual já foram registrados em cerca de dez países. O principal vetor do vírus é o mosquito Aedes aegypti.

A zika, uma doença que costuma provocar sintomas leves, gerou temor porque pode causar transtornos neurológicos e microcefalia, malformação que prejudica o desenvolvimento cerebral, em fetos de mães infectadas.

Em Madri não existe o principal vetor de transmissão, afirmou a fonte sanitária, acrescentando que o anunciado nesta sexta-feira é um "caso pontual".

Até 27 de junho, a Espanha registrou 158 casos confirmados de zika, 21 deles em mulheres grávidas, segundo o Ministério da Saúde. Todos esses casos foram de pessoas que viajaram para zonas infectadas.

As autoridades sanitárias espanholas registraram até agora dois casos de recém-nascidos com microcefalia associada ao zika.

O surto atual desse vírus começou na América Latina em 2015 e se propagou rapidamente pela região.

O Brasil é o país mais afetado, com cerca de 1,5 milhões de infectados e mais de 1.600 casos confirmados de microcefalia.

 

 

 

 

 

G1