Equipe de TV é hostilizada durante protesto no Rio

Equipe de TV é hostilizada durante protesto no Rio

Não é apenas nas manifestações contra o governo federal que os jornalistas da Globo são alvo de protesto.

Um episódio de hostilidade contra uma equipe do canal GloboNews foi registrado no sábado (4), durante ato de moradores do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, revoltados com a morte de Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos.

O menino morreu atingido por um tiro de fuzil na cabeça, quando estava em frente de sua casa, na quinta-feira (2).

Ontem à noite, o Jornal das Dez mostrou imagens de moradores exigindo a saída da equipe da GloboNews que cobria a manifestação.

Dezenas de pessoas começaram a gritar ao ver uma repórter e um cinegrafista que tentavam acompanhar a passeata pela paz. Algumas delas correram na direção dos jornalistas, que deixaram o local após a intimidação.

A emissora informou que esse grupo anti-Globo presente no Alemão não era formado por moradores.

Nas entrelinhas, ficou subentendido que foi uma ação político-partidária contra o canal, realizada por pessoas de fora da comunidade.

A mesma reportagem mostrou um líder comunitário do Complexo do Alemão saindo em defesa dos jornalistas.

Ao microfone, ele passou instruções aos manifestantes: “Não é pra mexer com a imprensa. Olha aqui, geral: não é pra mexer com a imprensa”.

O ator Paulo Betti, contratado da Globo (interpretou o blogueiro Téo Pereira na novela Império), participou da passeata.

 

 

 

 

 

Terra