Entre protestos dos estudantes, UEPB promove debate com apenas três candidatos

Entre protestos dos estudantes, UEPB promove debate com apenas três candidatos

Três candidatos ao governo da Paraíba faltaram ao debate promovido na manhã desta quarta-feira (10) pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) em Campina Grande.

Ricardo Coutinho (PSB), que, em nota, declarou que não participaria do evento por não considera-lo “sério”, Vital do Rêgo Filho (PMDB), que, em decorrência de suas atividades na CPI da Petrobrás, em Brasília, não pôde participar, e Major Fábio (Pros), que visitou lideranças na cidade de João Pessoa e deu uma entrevista a uma emissora de TV na capital no final da manhã.

Participaram do debate o candidato do PSDB, Cássio Cunha Lima, o do PSOL, Tárcio Teixeira e o do PSTU, Antonio Radical.

Cássio criticou a ausência de Ricardo Coutinho e o que considerou um retrocesso promovido pela atual gestão em relação à universidade.

“Reconheço, sempre, claro, que temos um longo caminho a percorrer na melhoria da educação. Foi na minha gestão que a UEPB conquistou sua autonomia e antecipamos em dois anos a média do Ideb. O que vemos hoje é um retrocesso gravíssimo na prática política do atual governo”, declarou o candidato.

Cássio enfrentou alguns protestos durante seu discurso inicial, com alunos que erguiam cadernos e o vaiavam, enquanto outros gritavam por seu nome, oferecendo apoio ao candidato. Ele entendeu as manifestações e respeitou o direito de expressão dos estudantes.

“As manifestações são democráticas e devem ser respeitadas. Quero apenas ter o direito de concluir minha linha de raciocínio e apresentar minhas propostas para esta universidade.

Antônio Radical destacou que, em um eventual governo do PSTU, a educação na Paraíba viverá um novo tempo e será prioridade, com aumento de investimentos para que as escolas tenham mais qualidade na oferta do ensino. “Vamos fazer uma revolução na educação da Paraíba. Nosso governo vai avançar na educação e fazer deste estado um modelo de gestão do setor”, afirmou.

Já Tárcio Teixeira usou seu tempo para fazer duras críticas ao governador Ricardo Coutinho, pela quebra da autonomia da UEPB e por não ter a educação como uma prioridade em seu governo.

“Ao quebrar a autonomia da UEPB, ele desrespeitou aqueles que fazem parte da instituição, além da população paraibana como um todo. O estado precisa de uma mudança verdadeira. A Paraíba viverá um novo ciclo de educação. Teremos compromisso com o povo, e não com o setor empresarial. Nossa gestão será marcada pelo diálogo com o setor e a ampliação de vagas para que todos tenham direito a uma educação de qualidade”, concluiu.

 

João Thiago